Gorillaz - capa homônimo

Na virada do século, Damon Albarn estava se aprofundando cada vez mais em projetos experimentais.

Após o Blur ter explorado sonoridades voltadas para a música eletrônica e para o noise no excelente disco 13, de 1999, o músico começou a tomar inspiração em gêneros como rap, trip hop e world music. No entanto, ao invés de levar essas influências para o resto da banda, Albarn aproveitou a oportunidade para criar um projeto mais audacioso — o Gorillaz.

 

A criação do Gorillaz

As primeiras sementes para a formação do grupo foram plantadas anos antes do lançamento do 13: ao terminar um relacionamento com a cantora Justine Frischmann, do Elastica, Albarn passou a dividir um apartamento com Jamie Hewlett, cartunista que na época trabalhava para a revista Deadline.

Segundo Hewlett, a ideia de criar o Gorillaz surgiu quando ele estava assistindo à MTV com Albarn. “Se você assistir à MTV por muito tempo, é como se fosse um inferno — não existe nada de substância ali”, comentou.

Então nós tivemos a ideia de criar uma banda virtual, algo que poderia ser um comentário sobre isso.

Com isso, Hewlett se encarregou de criar os personagens e desenvolver o universo por trás de 2D, Murdoc, Russell e Noodle, enquanto Albarn chamou nomes de peso como Dan The Automator, Del The Funky Homosapien, Tina Weymouth (Talking Heads) e muitos outros para dar vida aos personagens.

Primeiro Disco

Desconexo e extremamente eclético, o primeiro disco do Gorillaz foi lançado oficialmente no dia 26 de Março de 2001 — há exatos 19 anos. Nele, Albarn não teve medo de explorar sonoridades completamente opostas e variadas, partindo do Punk e passando pelo Dub, música latina e hip-hop.

LEIA TAMBÉM: Siga o TMDQA! no Instagram e não perca nenhuma dessas novidades!

O álbum foi um sucesso de vendas, público, e gerou diversos hits como “Clint Eastwood”, “19-2000” e “Tomorrow Comes Today”. Apesar de viver à sombra de seus sucessores, o disco homônimo do grupo é um projeto extremamente autêntico e serviu como um primeiro passo para explorar o clima naturalmente colaborativo do Gorillaz.

Remixes e B-Sides

Um ano após seu lançamento, o Gorillaz lançou um álbum de remixes, b-sides e versões alternativas de canções que acabaram não entrando no homônimo, batizado de G-Sides. Alguns destaques da coletânea são a versão original de “Clint Eastwood”, que contava com o grupo de hip-hop Phi Life Cypher, e um remix de “19-2000”.

Pra finalizar sua “primeira era”, o grupo também lançou o Laika Come Home, um álbum de remixes feitos inteiramente pela banda Spacemonkeyz. Nele, diversas faixas do disco homônimo foram transformadas em versões de reggae e dub.

Com o tempo, ficou cada vez mais claro que o Gorillaz marcou uma espécie de recomeço para a carreira de Albarn. Embora o Blur tenha sido uma das bandas mais icônicas do Reino Unido nos anos 90, o Gorillaz obteve um alcance gigantesco e, atualmente, artistas de todo o mundo colaboram com o cantor nos discos da banda virtual.

Explore o mundo do Gorillaz através dos players abaixo!

 
Compartilhar