Em 1985, Lionel Richie Michael Jackson encabeçaram o ambicioso projeto USA for Africa e produziram a icônica “We Are the World”.

35 anos depois, um dos maiores hits do mundo segue tão atual quanto nunca. E, segundo Richie, há a possibilidade de uma nova versão da canção para ajudar aqueles que mais sofrem com a crise do coronavírus (via Rádio Rock):

Há duas semanas, disse que não queria celebrar o aniversário [35º] da canção, por não ser o momento certo. Mas, agora, a mensagem é muito clara.

Para o cantor, o momento é de união e inclusão. Ele diz:

O que aconteceu na China e na Europa já chegou aqui (nos Estados Unidos). Se não salvarmos os nossos irmãos lá, chegará às nossas casas. Estamos todos juntos nisso.

Naturalmente, a ideia seria que a nova versão da faixa ajudasse a gerar uma verba para o combate da COVID-19. E aí, acha uma boa?

“We Are the World”

Boa parte dos músicos que gravaram a versão original de “We Are the World” ainda estão entre nós. Nomes como o próprio Richie, além de Stevie WonderPaul SimonTina TurnerWillie Nelson Cyndi Lauper poderiam voltar a aparecer; por outro lado, além de Jackson, outros como Al JarreauRay Charles e recentemente Kenny Rogers já nos deixaram.

Vale lembrar que a música foi regravada no seu aniversário de 25 anos com o objetivo de ajudar o Haiti a se recuperar dos terremotos que afetaram o país. A versão trouxe novas vozes e apostou em nomes mais modernos como Jamie FoxxEnrique IglesiasMiley Cyrus e até Justin Bieber na escalação. Relembre por aqui.

Enquanto isso, alguns artistas “resolveram” a crise de coronavírus com uma espécie de flash mob virtual para cantar “Imagine”, de John Lennon. A ideia foi comandada por Gal Gadot.