Grimes - Aquecimento Global é Bom
Foto: Twitter / @neworrder

Parece que Grimes não se cansa de aparecer na mídia com atitudes um tanto quanto… peculiares (como criar perfis no Instagram e Twitter de seu filho – que ainda nem nasceu – com imagens mostrando um neném com asas, arco e flecha, e unhas e olhos vermelhos brilhantes).

Após o aclamado lançamento do álbum Miss Anthropocene, que está na nossa lista de discos para ouvir no mês de Fevereiro, Grimes voltou para causar.

Como forma de divulgação do álbum, a cantora espalhou outdoors e artes em diversas cidades do mundo, incluindo em São Paulo, com a frase “GLOBAL WARMING IS GOOD” (“O aquecimento global é bom”). Obviamente as pessoas ficaram um tanto quanto confusas. Mas, nesta semana, Grimes deu uma entrevista para a Pitchfork na qual esclareceu a polêmica:

Eu fiquei tipo ‘Bom, nós poderíamos simplesmente colocar minha foto e dizer ‘compre o álbum’, e ninguém vai ligar – ou nós poderíamos fingir que a cidade é uma galeria de arte e colocar uma verdadeira obra.’

 

A cantora também explicou sua reação inicial ao ver a ideia de Ryder Ripps – responsável pela arte da capa de Miss Anthropocene:

Quando eu vi, eu fiquei tipo ‘Ai, caralho, não, isto é um grande erro, (…). E então eu fiquei ‘Nossa, isto é tão assustador que eu acho que nós deveríamos colocar.’ O objetivo era ter menos propaganda e mais arte pública.

Miss Anthropocene

Mesmo com a explicação de Grimes, a mensagem do outdoor permanece um tanto quanto estranha. Porém, tudo fica mais claro ao entender a história por trás do álbum Miss Anthropocene: um disco completamente conceitual, que antropomorfiza o aquecimento global como um espírito com sede de vingança. A deusa – cujo nome é o título do álbum – acredita que os seres humanos precisam aceitar o destino (no caso a morte) que eles mesmos construíram ao destruir a Terra por meio do aquecimento global.

 
Compartilhar