Por Anna Mota

Charlotte dos Santos é uma artista repleta de nuances. Com um pai brasileiro e uma mãe norueguesa, a cantora carrega a pluralidade de berço. Característica trabalhada nas experiências nômades acumuladas, já que estudou nos Estados Unidos, morou na Espanha, na Alemanha e, por razões familiares, no Brasil e na Suécia.

Uma só jornada com tantas vidas diferentes gerou questões sobre algo que sempre a acompanhou, não importa onde estivesse: sua identidade. E o que a ajudou a acalmar a mente curiosa foi a criação de seu primeiro disco de estúdio, Cleo (2017).

“Quando o compus, senti como se estivesse escrevendo uma peça ou um romance que era essencial que eu tirasse de mim,” explica, em entrevista ao TMDQA! durante o festival Pitchfork Paris:

Eu nunca me senti completamente norueguesa, nem completamente brasileira. Na Noruega, por não me parecer com o resto da população, e no Brasil por não estar familiarizada com a cultura ou com a língua. Então Cleo foi a persona que criei para entender que eu podia agir de acordo com a minha intuição, com os meus sentimentos, e perceber que o resto se ajeitava.

Nesta semana, Charlotte lançou “Helio”, segundo single do seu próximo EP, Harvest Time, que chega em 13 de março pela Because Music. A música é uma celebração do amor próprio, e, ao mesmo tempo, uma homenagem à natureza, como explicado pela cantora em entrevista à Clash.

Charlotte dos Santos em Paris
Foto por Hares Pascoal | TMDQA!

“‘Helio’ é resultado da minha obsessão pelo universo. Cosmologia, astronomia e astrologia sempre foram coisas de grande interesse”, diz.

Mas também, quando comecei a escrever a canção, ‘Helio’ representava uma outra pessoa que eu não podia viver sem. Só que percebi que estava cansada de escrever coisas como aquela, porque não eram verdade. Não precisamos que alguém seja nosso centro, nós devemos ser o primeiro e principal foco de nossas vidas. Então mudei a narrativa, e ‘Helio’ agora me representa, e representa o amor próprio.

“Helio” chega acompanhada de um delicado clipe dirigido por Eli Salcedo. Assista abaixo.

Continua após o vídeo

O EP Harvest Time foi escrito após um ano de outras viagens muito significativas para Charlotte. Em 2018, ela foi para uma residência artística no Japão, visitou pela primeira vez o Sri Lanka e explorou sozinha o Marrocos.

“Eu estava em busca de respostas”, relembra. “Muitas vezes, quando sentimos que o futuro é incerto, procuramos soluções criativas nos sonhos, na escrita. Mas as viagens foram primordiais para mim.”

Tal reflexão também aparece no título do lançamento, que significa “tempo de colheita”, em tradução livre.

Se eu fosse escolher um tema para esse álbum, seria ‘crescimento’. E é daí que vem o nome, porque é o que colhemos no fim do dia. É um momento de calma depois de uma tempestade, quando tudo é silêncio e você para e pensa sobre as coisas que quer levar consigo depois daquilo.

Você pode ouvir “Harvest Time” e Cleo nas plataformas digitais.