Brian May no incidente com operador de câmera
Reprodução/YouTube
 

Brian May é conhecido por ser um cara muito inteligente e da paz. Mas até ele é capaz de perder a paciência de vez em quando, como mostrou um incidente péssimo que ocorreu hoje (12).

Após desembarcar em Brisbane, na Austrália, para os shows que o Queen + Adam Lambert fará por lá, ele alega ter visto alguns jovens com camisetas da banda e disse que acha “difícil simplesmente passar batido nesse caso”. Por isso, May parou para falar com os garotos e foi surpreendido por um operador de câmera que ele classificou como “rude e desrespeitoso”.

Fazendo parte da equipe do Canal 7, da televisão local, o repórter tentou filmar o guitarrista. Brian repetidamente pediu para que o profissional parasse, pois era um momento de intimidade com fãs e, depois de muita relutância, o cara desligou a câmera.

No entanto, logo em seguida, ele ligou a câmera do celular e fez com que o lendário músico perdesse toda a calma. Claramente com raiva, o artista de 72 anos foi na direção do jornalista e deu um tapa em seu celular.

Em seguida, ele saiu pedindo desculpa aos fãs por terem que ver isso, e mais tarde fez um relato emocionante no seu Instagram, disponível na íntegra com tradução em 3 partes abaixo. Vale lembrar que ele cita mais uma vez problemas com a depressão, como já havia acontecido no início deste ano.

Ao final da matéria, você pode também encontrar o vídeo que mostra o incidente e a justificativa do Canal 7: o celular era para um registro pessoal, não profissional. Não colou, hein?

Relato de Brian May – Parte 1

View this post on Instagram

My Welcome to Brisbane ! First of all THANKS to so many of you folks who managed to find a way to send me supportive messages while I’ve been quietly trying to work my way through the feelings generated by the incident that happened at Brisbane Airport, just moments after I landed in Australia. No – I’m not all right. But I will be. It certainly ruined my day, and if that’s what you wanted, Channel 7, then you got it. There’s a fine line between anger and depression, and I’ve been struggling with all of that since I got ambushed and harrassed by a TV News team, fresh off the plane from New Zealand. Now, obviously I’m not a novice at this … I’ve interacted with literally thousands of news reporters, photographers and cameramen over the last 50 years. I’m not exactly known for being aggressive, even in the face of provocation, but this guy caught me unawares – one of the rudest and most disrespectful video cameramen I’ve ever encountered. As we drove out of the airport, I noticed a small group of young kids with Queen albums, waving a welcome. I find it hard to just drive by in a case like this. Yes, they could have been pesky e-bay hounds just looking to make a quick buck, but these guys looked like very genuine fans. This stuff still matters to me. So we stopped the car and I got out to sign their Queen material, and they kindly gave me gifts of typically Australian goodies. Lovely. Pressed up against the kids was a guy with a huge TV camera. I’d noticed him, obviously, but I had no idea who he was – whether he was part of the party of kids, or a third party. I just let him film for the few moments I was signing the albums. But these kids were clearly very moved by the meeting, and I felt they deserved to have a few moments NOT being filmed for public sharing. So, in the nicest possible way, I turned to the cameraman and asked if he’d stop filming, now he’d got his story, and give us some private moments. He refused. He kept on filming, and aggressively turned the camera close-up on my face. That, to me, felt like deliberate invasion of my space, and downright unfriendly. At that moment, everything changed. (To be cont’d). Bri

A post shared by Brian Harold May (@brianmayforreal) on

Minhas boas vindas a Brisbane!

Primeiramente OBRIGADO a todas as pessoas que encontraram uma forma de me mandar mensagens de apoio enquanto eu estava silenciosamente tentando encontrar uma forma de lidar com os sentimentos gerados pelo incidente que aconteceu no Aeroporto de Brisbane, momentos após eu pousar na Austrália.

Não — eu não estou bem. Mas eu vou ficar. Certamente arruinou o meu dia, e se era isso que vocês queriam, Canal 7, então vocês conseguiram. Existe uma linha tênue entre raiva e depressão, e eu estive lutando contra tudo isso desde que eu fui encurralado e assediado por uma equipe de TV, assim que saí de um avião da Nova Zelândia. Agora, obviamente eu não sou um novato nisso … Eu interagi com literalmente milhares de repórteres, fotógrafos e operadores de câmera durante os últimos 50 anos. Eu não sou exatamente conhecido por ser agressivo, mesmo quando provocado, mas esse cara me pegou desprevenido — um dos operadores de câmera mais desrespeitosos e rudes que já encontrei. Conforme dirigíamos para sair do aeroporto, eu percebi um pequeno grupo de jovens com álbuns do Queen, dando tchau. Eu acho difícil simplesmente passar batido nesse caso.

Sim, eles poderiam ser caçadores de autógrafo do e-bay tentando ganhar uma grana, mas os caras pareciam ser fãs bem genuínos. Essas coisas ainda significam algo para mim. Então nós paramos o carro e eu saí para assinar seus materiais do Queen, e eles gentilmente me deram presentes tipicamente Australianos. Amável. Pressionando contra os jovens estavam um cara com uma enorme câmera de TV. Eu o havia percebido, obviamente, mas eu não fazia ideia de quem ele era — se ele era parte do grupo de jovens, ou uma terceira pessoa. Eu deixei ele filmar os breves momentos em que eu estava assinando os álbuns.

Mas esses jovens estavam claramente muito emocionados pelo encontro, e eu senti que eles mereciam ter alguns momentos NÃO sendo filmados para serem compartilhados com o público. Então, da maneira mais gentil possível, eu virei para o operador de câmera e o pedi para pirar de filmar, já que ele já tinha sua reportagem, e nos dar alguns momentos em privado. Ele recusou. Ele continuou filmando, e agressivamente colocou a câmera perto do meu rosto. Aquilo, para mim, foi como uma deliberada invasão ao meu espaço, e extremamente não-amigável. Naquele momento, tudo mudou. (Continua). Bri

Relato de Brian May – parte 2

View this post on Instagram

(Continuing from previous post) I asked the cameraman at least two more times to put the camera down, and so did the kids. One of them said “I’ve waited half my life to meet Brian and I don’t want it to be spoilt by you”. The guy carried on filming, and then I told him firmly to put the camera away, or else this would turn into an ugly incident. Finally, he pointed the camera upwards, and it was fairly obvious it was still turned on, recording sound. Now it takes quite a lot to get me rattled, but I was beginning to boil. Everyone has a tipping point, I think ? I carried on talking to the kids, trying to ignore the invasive presence, but he then pulled out his iPhone and began to film us with that. That was the final straw for me. I headed towards him with the intention of temporarily separating him from his phone, and actually put a hand on it, before my security guy gently dissuaded me. And then I realised I had walked straight into a trap. The guy now had what he wanted. He could cook this up into a story in which I was portrayed as an attacker on an innocent victim of a newsman. He possessed the only footage of the incident, so he or his bosses could edit it any way they wanted, to make me look like I lost my rag for no reason. And that, predictably, is exactly what Channel 7 did. They could have run a story about how we’d come over preparing to do our bit for Fire Fight Australia next week, or about the upcoming massively sold-out show in Brisbane, or even about how we’d had a nice welcome from some fans at the airport. But no … they ran the ‘story’ with a smug introduction about Brian May “attacking” a cameraman, followed by a cunningly edited version of the footage he’d shot, in which I come across as an aggressor. I regret getting angry, but angry I was, under what I regard as severe provocation, and to me the behaviour of the camera guy and the Channel 7 News Team is shabby and shameful. I’d like an apology from them all, but of course the chances of that are small. I don’t know whether it was all a set-up from the beginning – maybe so – or whether he just deliberately acted like an arse to create a story, but either way …

A post shared by Brian Harold May (@brianmayforreal) on

(Continuando da postagem anterior) Eu pedi ao operador de câmera pelo menos mais duas vezes para guardar a câmera, e os jovens também. Um deles falou ‘Eu esperei metade da minha vida para conhecer o Brian e eu não quero que isso seja estragado por você’. O cara continuou filmando, e aí eu falei firmemente para ele guardar a câmera, ou isso se tornaria um incidente feio. Finalmente, ele apontou a câmera para cima, e era bem óbvio que ela ainda estava ligada, gravando o som. Agora, é preciso muito para me deixar irritado, mas eu estava começando a ferver. Todo mundo tem um ponto de irritação, eu acho ? Eu continuei falando com os jovens, tentando ignorar a presença invasiva, mas aí ele pegou o seu iPhone e começou a nos filmar com aquilo. Aquela foi a última gota para mim. Eu fui em sua direção com a intenção de temporariamente separá-lo de seu telefone, e coloquei a minha mão nele, antes do meu segurança gentilmente me dissuadir. E aí eu percebi que havia entrado de cabeça em uma armadilha. O cara agora tinha o que ele queria. Ele poderia fazer disso uma história em que eu fosse retratado como alguém que atacou uma inocente vítima do jornalismo. Ele possuía a única gravação do incidente, então ele ou seus chefes poderiam editá-la em qualquer forma que preferirem, para fazer parecer com que eu perdi a cabeça sem razão.

E isso, previsivelmente, foi exatamente o que o Canal 7 fez. Eles poderiam ter feito uma reportagem sobre como nós viemos preparados para fazer a nossa parte pelo Fire Fight Australia [para ajudar a minimizar as consequências dos incêndios que assolaram o país] na semana que vem, o sobre o show massivamente lotado em Brisbane, ou até sobre como nós tivemos belas boas-vindas de alguns fãs no aeroporto. Mas não … eles fizeram a ‘reportagem’ com uma presunçosa introdução sobre Brian May “atacando” um operador de câmera, seguida de uma versão astutamente editada da filmagem, na qual eu apareço como um agressor. Eu me arrependo de ter ficado bravo, mas bravo eu estava, depois do que eu considero uma severa provocação, e para mim o comportamento do operador de câmera e da Equipe de Notícias do Canal 7 é pobre e vergonhoso. Eu gostaria de um pedido de desculpas de todos eles, mas é claro que as chances são pequenas. Eu não sei se foi tudo armado desde o começo — talvez tenha sido — ou se ele só deliberadamente agiu como um babaca para criar a reportagem, mas de toda forma …

Relato de Brian May – parte 3

View this post on Instagram

(Continued from previous post) …but either way, I’ve had a struggle not to feel abused and unwelcome. I’m sensible enough to know the vast majority of folks here are not in any way like this. I spent the afternoon today with my cousins, naturalised Aussies for the last 45 years, and felt massive warmth. And lots of you figured out how shitty I must be feeling and reached out to me … I’m eternally grateful. I’ve always loved Queensland, and that will never change … had some of the best times of my life on the Barrier Reef, and cried buckets seeing the tragedy of the Koalas and Kangaroos in the recent fires. Tonight I still feel bruised, but finally being able to write this is a kind of therapy. I had to make my side of the story known. Being disrespected so publicly takes a little while to get over. But now it’s over. And tomorrow morning I will get up and do my preparations, with intent to give one of the best performances of my life, fuelled by new lessons learned, and a determination to make the best out of all this. And a detrmination to give our wonderful fans in Brisbane the best night of their lives !!! See ya there ! Bri P.S. I’m in touch with Cooper Simmons, the young lad you see in the photo. Both he and his parents have been very supportive, and highly critical of Channel 7’s behaviour. But I haven’t been able to trace the other fans … send me message if your read this, guys.

A post shared by Brian Harold May (@brianmayforreal) on

(Continuando da postagem anterior) …mas de toda forma, eu tive um conflito para não me sentir abusado e indesejado. Eu sou sensível o suficiente para saber que a vasta maioria das pessoas aqui não são de forma alguma como isso. Eu passei a tarde hoje com meus primos, naturalizados Australianos pelos últimos 45 anos, e senti um calor massivo. E vários de vocês perceberam como eu deveria estar me sentido um merda e falaram comigo … eu sou eternamente grato. Eu sempre amei Queensland, e isso não irá mudar … tive alguns dos meus melhores momentos na vida no Barrier Reef, e chorei baldes vendo a tragédia dos Coalas e Cangurus nos incêndios recentes.

Essa noite eu ainda me sinto machucado, mas finalmente ser capaz de escrever isso é uma espécie de terapia. Eu tive que fazer o meu lado da história ser ouvido. Ser desrespeitado tão publicamente leva um tempo para superar.

Mas agora acabou. E amanhã de manhã eu vou levantar e fazer meus preparativos, com a intenção de dar uma das melhores performances da minha vida, com o combustível de novas lições aprendidas, e uma determinação de fazer o melhor de tudo isso.

E uma determinação de dar aos nossos maravilhosos fãs em Brisbane a melhor noite de suas vidas !!!

Vejo vocês lá !

Bri

PS: estou em contato com Cooper Simmons, o rapaz que vocês vêem na foto. Tanto ele quanto seus pais me apoiaram muito, e foram muito críticos ao comportamento do Canal 7. Mas eu não consegui rastrear os outros fãs … me mandem uma mensagem se vocês lerem isso, caras.

Brian May perdendo a paciência com repórter

   
 
Compartilhar