Neil Peart e David Bowie
 

10/01. O ano mal começou e esse palíndromo numérico de Janeiro foi um dos dias mais duros para fãs de música nos últimos tempos.

Foi em 10 de Janeiro de 2020 que recebemos a triste notícia de que Neil Peart, lendário baterista e compositor do Rush, havia falecido alguns dias antes, na terça-feira (07), vítima de um câncer no cérebro.

As inúmeras homenagens ao cara vindas de artistas do calibre de Metallica, Black Sabbath, Nirvana, KISS, Foo Fighters e tantos outros mostrou que não havia nenhum exagero ao dizer que ele foi um dos maiores de todos os tempos, talvez o maior, em seu instrumento.

Tudo isso aconteceu enquanto lamentávamos a morte, sentíamos saudades e relembrávamos do também lendário David Bowie, que faleceu exatamente quatro anos antes, em 10 de Janeiro de 2016, também vítima de câncer, mas no fígado.

De forma bastante similar, o mundo entrou em choque ao saber da notícia já que assim como Peart, Bowie também não havia falando publicamente sobre a doença, então o público não sabia que ambos vinham lutando contra ela.

“Eu Não Quero Morrer Como um Homem Ordinário”

Mais cedo, todos ouvimos a parceria de dois dos maiores nomes da história da música com o dueto dos britânicos Ozzy Osbourne e Elton John.

De um lado, Ozzy enfrentou sérios problemas de saúde em 2019 e 2020 já começou com boatos de que ele estaria no “leito de morte”, o que foi refutado pela família e por novas canções que estarão no disco Ordinary Man, a ser lançado em Fevereiro.

De outro, Elton John vive momentos opostos na carreira: de um lado tem sido celebrado e premiado pela cinebiografia Rocketman; de outro, já avisou que irá dar adeus aos palcos e pendurar as chuteiras assim que a atual turnê chegar ao fim.

Juntos, Ozzy e Elton cantam em “Ordinary Man”, faixa título do disco do Ozzy, e falam principalmente sobre despedida e morte.

Não se esqueçam de mim quando as cores desbotarem
Quando as luzes se apagarem, é só um palco vazio

Ao falar sobre uma vida desregrada e o caminho até aqui, Ozzy conta com a ajuda do amigo Elton para comentar sobre como já enxerga o fim e não gostaria de ir embora como “um homem ordinário”:

Sim, eu fui um cara mau
Já fiquei mais alto que o céu azul
E a verdade é que não quero morrer como um homem ordinário

Eu fiz a mamãe chorar
Não sei por que ainda estou vivo
Sim, a verdade é que não quero morrer como um homem ordinário

É difícil comparar pesos entre duas questões tão difíceis, mas poucas coisas são tão duras quanto uma pessoa falando sobre como já visualiza a despedida e, é claro, a morte em si.

Neil Peart, David Bowie, Ozzy Osbourne e Elton John

No mesmo dia, em 10 de Janeiro de 2020, sentimos a dor da perda, a dor da saudade e a dor de outra pessoa que expôs ao mundo seus pensamentos e lamentos mais profundos em forma de canção.

10 de Janeiro de 2020. Que dia pesado.

Eu não quero dizer adeus
Quando eu disser, você ficará bem
Afinal de contas, eu fiz tudo por você

Ouça o novo disco de Caetano Veloso!