Mais uma semana chega e com ela mais uma seleção com destaques nacionais. E vale o aviso, hein: muito disso estará na nossa playlist oficial no Spotify. Então, é só acompanhar sempre por aqui e ouvir tudo no player abaixo.

Estamos sempre falando de música brasileira por aqui, então para conhecer muita coisa boa basta acompanhar na aba de Nacionais do site. Agora, confira os destaques abaixo:

Quazimorto

Quazimorto
Foto: Divulgação

Após o lançamento do ótimo disco Cold Front, o trio catarinense Quazimorto apresentou a versão remasterizada do mesmo.

Depois de já ter se destacado com seu álbum de estreia, Qzmrt (2017), Cold Front mostrou a mistura de lo-fi com rock progressivo, psicodélico e pitadas do post-hardcore em um álbum que entrou no Top 10 da nossa lista com os 50 Melhores Discos Nacionais de 2019.

Na nova versão, somos presenteados com a faixa-bônus Everything is Everywhere”. 

Ao mesclar instrumentais e faixas cantadas, todas as canções foram produzidas pela própria banda, captadas no Estúdio Cacupê, masterizadas por Augusto Fernandes e o disco foi lançado pelo selo Urtiga Records.

Infelizmente a banda catarinense encontra-se em hiato.

Carpechill

Carpechill
Foto: Divulgação

Ao dar continuação com o projeto de singles que já vimos por aqui, o duo indie-pop paulistano Carpechill lança o lyric video de “Meu Ritmo”. 

A canção conta com a participação do rapper transgênero Yoozy. Em uma melodia simples, com assobios e riffs de guitarra envolventes, “Meu Ritmo” traz na letra uma mensagem objetiva.

Essa música fala sobre viver intensamente e não esperar por outras pessoas, pois a vida é breve, tampouco, se importar com o que elas pensam a respeito do ritmo de cada um.

Ouça no player abaixo:

Leo Keller

Leo Keller
Foto: Victor Guthierre

O artista brasiliense Leo Keller abraça todas as suas referências no EP de estreia, intitulado Flames in the Sun.

Seu primeiro trabalho traz influências que vão do grunge ao rock alternativo dos anos 2000, seja nos drive dos vocais, nos solos de guitarra e até nas letras, e é fácil identificar a atmosfera familiar que o EP carrega.

Toda a produção e gravação são assinadas por outro artista da capital federal, Marcus Lopes, que também participou musicalmente, nas guitarras, baixo, teclado e backing vocals. Além disso, a bateria ficou nas mãos do músico Reynaldo Timóteo.

O resultado você pode conferir abaixo:

Pedro Quadros

Pedro Quadros
Foto: reprodução/instagram

Mais um músico brasiliense dando as caras por aqui, Pedro Quadros estreia com o disco Dia Mais Triste do Ano.

Com uma sonoridade minimalista, o primeiro trabalho traz solos de violão e instrumentos de sopro. O artista produziu o mesmo em uma noite de insônia e sintetizou seus conflitos emocionais e crises de ansiedade nas oito faixas. O disco também virou um projeto visual, cujos registros foram feitos durante as crises, e podem ser vistos logo abaixo.

2019 foi o segundo pior ano da minha vida. Tive muitos conflitos que envolviam doenças que carrego há anos comigo. Era para ser só sobre mim mas acabou se tornando sobre outras perdas. Esse CD me deixou totalmente vulnerável, eu coloquei nele tudo que eu tinha de mais pessoal e me expor assim pro mundo foi um passo difícil de ser tomado.

Ouça!