Jerod Harris / Getty Images

Antes de chegarem a Matthew Perry para a escalação do papel de Chandler Bing em “Friends”, houve uma escolha principal. O ator escolhido para a tarega era Craig Bierko, que outrora havia trabalhado com Perry e acabou recusando o papel no aclamado seriado após ler o roteiro de um episódio.

Carreira

Filho de um diretor de teatro comunitário de Nova York, Bierko teve ponta em várias séries e filmes. Começou em 1990, na sitcom da CBS Sydney, junto de Valerie Bertinelli e Matthew Perry, mas durou apenas 13 episódios. Desde então, ele fez aparições constantes em alguns programas de televisão, mas pôde ser conhecido com os papeis de Timothy no filme Despertar de um pesadelo (1996), Max Baer em A Luta pela Esperança (2005) e Tom Ryan em Todo Mundo em Pânico 4 (2006). Sendo que, nesse último, seu personagem é uma versão falsificada de Tom Cruise.

Nos anos 2000, Bierko também fez um papel como músico de jazz que ser apaixonado por Carrie Bradshaw, protagonizada por Sarah Jessica Parker na quarta temporada de Sex and the City. Ele também apareceu em Law & Order: SVU como Andy Eckerson, um vice-marechal dos Estados Unidos que trabalha junto com a equipe principal para recapturar um fugitivo condenado.

Além de atuar no ramo do teatro e aparecer com papéis secundários em outras séries de TV dos EUA, Bierko teve sua maior aparição na série dramática da Lifetime, UnREAL. Seu personagem se chama Chet, o criador “excêntrico e drogado” de um reality show de namoro. Contudo, UnREAL chegou ao fim no ano passado, em sua quarta temporada.

A saga do papel de Chandler

A NBC teve muitos problemas para o papel do sarcástico Bing. Em uma entrevista para a Vanity Fair, o ex-presidente da NBC, Warren Littlefield, afirmou que escalou Craig Bierko porque Matthew Perry estava comprometido com o piloto de uma série chamada LAX 2194 e não poderia pegar o papel. Contudo, Bierko recusou, a outra série de Perry não foi pra frente e Littlefield “agradeceu” pelo feito:

Havia algo de Snidely Whiplash em Craig Bierko. Ele parecia ter muita raiva omissa em si, mais um cara que o público gostaria de odiar. O líder atraente que você ama e pode fazer comédia é muito raro.

Para quem não sabe, Snidely Whiplash é o vilão de uma animação dos anos 1960, The Rocky and Bullwinkle Show. O enredo gira em torno dele ser arqui-inimigo de Dudley Do-Right, e ambos seguem determinados arquétipos. Whiplash é o vilão estereotipado que aparece em filmes mudos, com smoking preto, cartola e bigode enrolado nas pontas. Já Dudley é o oposto, a própria síntese “Do right” (faça certo), sendo caracterizado como um policial montado do Canadá.

LAX 2194

A história de LAX 2194, inclusive, não foi pra frente por um motivo bastante óbvio: era ruim demais.

O próprio Matthew Perry, em entrevista para Seth Meyers que pode ser vista no vídeo abaixo, relembrou como quase perdeu o papel em Friends por causa do envolvimento com um seriado sobre “carregadores de bagagem no aeroporto de Los Angeles no ano de 2194”:

Eu estava lá, com uma camisa futurística e pessoas pequenas interpretavam os alienígenas. E eu tinha que separar a bagagem deles. E basicamente o programa era isso.

Aí um dia um roteiro chegou, e na época o programa se chamava ‘Friends Like Us’. Era hilário, ótimo e tinha esse papel que era perfeito para mim. E eu estava ficando louco porque não podia fazer o teste porque estava envolvido com o programa sobre bagagens.

Até que alguém na Fox [produtora de LAX 2194] chegou e disse: ‘a gente viu o piloto, é a pior coisa que já vimos na história, ele está disponível e pode fazer Friends Like Us’.