A música dos anos 2000 veio num caráter alarmante, tanto na variedade de subgêneros quanto nas colaborações que viriam a surgir desde então.

Entre feats e singles a todo momento, um lançamento ganhou destaque: Collision Course. Vindo de uma parceria entre o rapper Jay-Z e a banda Linkin Park, o registro foi o segundo em formato de EP a chegar no primeiro lugar da Billboard 200. O primeiro a conquistar esse feito havia sido Jar Of Flies, da banda Alice in Chains, em 1994.

Início da parceria

Ambos já faziam colaborações distintas dentro de estúdio. No mesmo ano do lançamento de Collision Course, Jay-Z lançou o segundo disco com R Kelly, Unfinished Business. Já em 2003, o Linkin Park lançou Reanimation, com versões remix do álbum de estreia Hybrid Theory. 

Até que, no mesmo período, a MTV lançou o “Ultimate Mash-ups” e convidou o rapper. Com a chance de ter qualquer grupo ou artista como parceria, Jay-Z convocou Mike Shinoda, que fez alguns “testes” de algumas versões e ambos começaram o trabalho por e-mail.

Com isso, a dupla decidiu que ao invés de apenas juntar as canções para apresentação ao vivo na MTV, também deveria regravar as canções escolhidas para que tudo pudesse se encaixar melhor. Em entrevista para a MTV na época, Mike explicou a razão dessa dizendo que “Jay e eu percebemos que era melhor trabalhar os vocais de rap como se fôssemos fazer em beats diferentes, porque a vibe muda e você tem que entregar os seus versos com uma pequena diferença.”

Jay-Z e Linkin Park

Com inspiração no álbum de mashups The Grey Album, do DJ Danger Mouse, que juntou as músicas do Black Album do Jay-Z com clássicos dos Beatles, a ideia a princípio era de lançar uma faixa de cada, contudo a galera foi longe e lançou o EP com seis faixas. O registro inteiro foi feito em apenas quatro dias, entre 16 e 19 de Julho de 2004, e teve o lançamento em 30 de Novembro de 2004.

O projeto também ganhou DVD, que contém making of, galeria de fotos e o vídeo de todas as faixas tocadas ao vivo, no Roxy Theatre, em 18 de Julho do mesmo ano. 

Curiosidades e prêmios

Collision Course foi o primeiro disco do Linkin Park a ganhar o famigerado selo “Parental Advisory”, o que indica que há conteúdo explícito. Muito disso é devido às canções do Jay-Z, mas também há trechos de Chester e Mike falando alguns palavrões no decorrer das faixas.

O EP também teve a versão editada, mas deixaram alguns termos como “bitch”, “ass” e “hoes” na faixa “Izzo/In the End”. Outra curiosidade é que, além do Collision Course, o Linkin Park só usou palavrões no álbum Minutes to Midnight, ganhando mais um vez o selo.

Um ano após o lançamento do disco a parceria entre ambos seguiu além e Jay-Z foi produtor executivo do álbum The Rising Tied, do Fort Minor. Projeto solo do Mike Shinoda, ele expõe na faixa “High Road” as críticas sobre o Collision Course: 

“Tryin to convince themselves that the record with Jay was a fluke, that the record that I’m makin is a mistake and I cant take this, lemme tell you where I’m at with this” (Estão tentando se convencer de que a gravação com Jay foi um golpe de sorte, de que o disco que estou fazendo é um erro e eu não posso aguentar isso, me deixa falar aonde estou com isso)

No mesmo período, “Numb/Encore” venceu a categoria Melhor colaboração de Rap do Grammy. Foi o segundo Grammy da banda e o quinto do rapper, de dois singles que nunca haviam sido nomeados até então.

Continua após o player

Homenagem a Chester

Após a morte de Chester Bennington, que nos deixou em Julho de 2017, o rapper prestou uma homenagem digna de todo o legado que o artista deixou. Em Agosto do mesmo ano, Jay-Z, durante sua apresentação como headliner do segundo dia do festival londrino V, tocou o hit premiado do EP. A música não era tocada por ele em seus shows desde 2011. Os vídeos do tributo você pode conferir aqui.

Com toda a produção assinada por Mike e Jigga, o EP marcou uma geração inteira. O mais emblemático é como a junção deu muito certo, como se todas as músicas fossem criadas apenas em prol do álbum. Se você nunca ouviu Linkin Park ou Jay-Z,ou sequer acompanhou a carreira de ambos como tal, é válido até questionar que uma parte criou para se encaixar na outra e vice-versa.

Todo o resultado você pode ouvir (e reouvir quantas vezes for preciso) no player abaixo:

 
 
Compartilhar