Ademar Gevaerd
Divulgação/Assessoria de Imprensa
 

Nos últimos meses, muito se falou sobre Tom DeLonge por aqui. E não foi só pela música! Apesar de estar em turnê com o Angels & Airwaves, o ex-vocalista e guitarrista do blink-182 tem feito grandes descobertas no mundo da ufologia por meio de sua academia, a To the Stars, e firmou até parceria com o Exército americano.

Além disso, a internet foi tomada recentemente por um interesse na Área 51. A ideia de invadir o local secreto do governo americano viralizou e fez com que surgissem não apenas um, mas dois festivais de música com a temática alienígena.

Tudo isso, naturalmente, nos despertou interesse no assunto. Por isso, fomos falar com um dos maiores especialistas da área: Ademar Gevaerd. Conhecido mais pelo apelido “A.J.”, o ufólogo paranaense que fundou a Revista UFO em 1988 nos atendeu por telefone para esclarecer dúvidas sobre esse mundo tão misterioso.

Para quem curtir o papo, temos boas notícias! O Brazil UFO Summit, comandado por A.J., acontece entre os dias 12 e 23 de novembro em quatro capitais, sendo elas Recife (12), Porto Alegre (19), São Paulo (21) e Curitiba (23). Os ingressos estão disponíveis no site do evento.

O evento terá como palestrantes o próprio Ademar, além de Nick Pope (ex-diretor do UFO Desk do Ministério de Defesa Britânico) e Stephen Bassett (Paradigm Research Group). Além disso, Tom DeLonge participará por videoconferência.

Entrevista com A.J. Gevaerd

TMDQA!: Você era professor antes de fundar a Revista UFO. Como foi e por que aconteceu essa transição?

A.J. Gevaerd: Bom, eu sou apaixonado pela ufologia desde criança. Desde os 7 anos, quando tive minha primeira leitura. Nos meus 14 anos eu dividia as minhas leituras entre duas paixões: ufologia e química orgânica. Chegou um tempo em que me casei e mudei de Maringá (PR) para Campo Grande (MS), e, pra sobreviver, tinha que dar aula [de química] em cinco colégios. Isso não estava mais me deixando praticar a ufologia. Precisei bolar algo que me permitisse sobreviver dentro da ufologia, e lancei então a Revista UFO. Hoje é a mais antiga revista de ufologia em circulação no mundo!

TMDQA!: Eu te pergunto isso justamente para fazer um paralelo com o Tom DeLonge, que também tinha uma carreira bem-sucedida em outra área mas se viu obrigado a abraçar a paixão pela ufologia…

AJ: Sim, o Tom é apaixonado pela ufologia desde criança, né. Tenho muita correspondência com o grupo deles, especialmente com o Luis Elizondo, que é co-fundador da To the Stars Academy.

Tom DeLonge e To the Stars Academy

TMDQA!: Justamente, queria te perguntar sobre eles. Como a comunidade ufológica enxerga esse papel do Tom como um porta-voz do movimento?

AJ: É algo bem visto por parte da comunidade ufológica. Naturalmente, tem alguma coisa por trás disso. A To the Stars surgiu quando o Luis Elizondo saiu do Pentágono, em 2017, revelando que eles pesquisavam UFOs secretamente. Aí, o Tom DeLonge se aproximou dele e montaram a academia. Eu acho que a saída do Elizondo foi um plano governamental de começar a revelar detalhes sobre ufologia. O governo americano é o que mais esconde sobre esse tema, pois estão atrás da tecnologia dessas máquinas. Estava na hora de algumas revelações surgirem, como os vídeos “vazados” – que eu creio terem sido revelados propositalmente – do Pentágono reconhecidos pela Marinha americana. Na minha opinião, o Tom DeLonge foi escolhido para esse plano por causa de sua empatia com um público de milhões de fãs no mundo inteiro. Talvez outros artistas tenham sido testados, mas acabou caindo na mão da dupla [DeLonge e Elizondo].

TMDQA!: E como você enxerga o trabalho que a To the Stars tem feito?

AJ: Eles têm feito um bom trabalho. Não vejo nada de mau nesse plano, que acredito que seja uma espécie de preparação para a realidade ufológica. Estávamos precisando que algo assim acontecesse. Agora, é ladeira abaixo. Pilotos, generais, almirantes, todos estão falando. É uma coisa positiva. Inclusive, quero me encontrar com eles assim que possível, pois o que eles estão tentando fazer é a abertura ufológica nos EUA, coisa que fizemos aqui no Brasil. Temos que unir todas essas iniciativas, inclusive de outros países da América do Sul, da Europa, Rússia e China.

Abertura Ufológica no Brasil e Parceria Militar

TMDQA!: Essa abertura ufológica no Brasil foi feita por meio da campanha “UFOs: Liberdade de Informação Já”. Pode contar mais sobre isso?

AJ: Sim, eu que desenhei a campanha. Iniciamos em 2004 e a partir de 2007 começou a dar certo! Hoje são 20 mil páginas abertas no Arquivo Nacional. Inclusive, são os documentos mais procurados! Nós fomos convidados para uma reunião no Ministério da Defesa, em Brasília, para falar com o vice-ministro do chanceler Celso Amorim e com os comandantes das Forças Armadas para expor o que queríamos. Eles nos ouviram. Os militares brasileiros, em especial a Aeronáutica, têm um tratamento muito sério e responsável com os UFOs. Fomos o primeiro país do mundo a reconhecer os UFOs e sua origem extraterrestre, em 1954!

TMDQA!: Sobre o apoio de militares, falamos recentemente aqui no blog sobre a parceria da To the Stars com o Exército americano. O que acha disso?

AJ: É fascinante, algo completamente inédito! Eles estão conseguindo abrir essas portas. Uma parceria com o Exército americano, que sempre foi muito fechado, é algo que nunca se conseguiu na história. Então, acredito que tem coisa boa vindo aí. Cada vez mais revelações, que devem acontecer gradualmente para ir abrindo as cabeças das pessoas. Até porque, uma hora ou outra essas naves podem chegar, podem pousar. Sem a menor dúvida, teremos contato com outras formas inteligentes. Se vai acontecer amanhã, ano que vem ou daqui 10 anos, não sabemos. Mas vai acontecer.

Invasão à Área 51 e Música

TMDQA!: E como você enxerga o movimento de invadir a Área 51?

AJ: Ah, aquilo foi uma piada. Não ia adiantar nada. Não tem mais nenhum parafuso extraterrestre ali desde 1992. Está tudo na Área 52, que ninguém chega nem perto, e na base aérea naval de China Lake, na Califórnia. Mas pelo menos acordou a sociedade, foram milhões de visualizações, postagens… Aos poucos a sociedade vai se despertando.

TMDQA!: Bom, agora preciso te perguntar: e a música do Tom DeLonge? Você gosta?

AJ: Ah, eu gosto muito de música. Adoro a música americana – Barry WhiteDionne WarwickDonna Summer – mas o Tom DeLonge eu deixo só na ufologia mesmo. Até acho algumas músicas dele bacanas, mas não sou um cara muito do rock.

TMDQA!: Por fim: você tem mais discos que amigos?

AJ: Cara, eu tenho. Devo ter uns 300 discos, e amigo, amigo mesmo, não tem nem uma fração disso. Facebook, redes sociais, isso não conta!

TMDQA!: Legal! Muito obrigado por seu tempo! Quer deixar um recado sobre o Brazil UFO Summit?

AJ: Obrigado! Quero ressaltar a importância dos convidados do UFO Summit, Nick Pope e Stephen Bassett. O primeiro é ex-diretor do UFO Desk do Ministério de Defesa Britânico e o segundo é o maior ativista ufológico dos EUA. Não percam, vai ser muito bom!

 
 
Compartilhar