Foto por Nadav Kander

Em 2019 a banda britânica Editors está completando 17 anos de carreira e após seis discos de estúdio resolveu lançar uma coletânea.

Lançada ao final de Outubro, Black Gold traz clássicos da carreira da banda bem como um complemento pra lá de especial com oito canções em formato acústico, que vão desde “Violence” até o clássico “Smokers Outside The Hospital Doors”.

O TMDQA! conversou com o baixista Russell Leetch a respeito dessa fase e você pode ler a nossa entrevista logo abaixo.

TMDQA!: Após mais de 15 anos como uma banda, vocês estão lançando sua primeira coletânea. O que os motivou para fazê-lo? Como vocês se sentem a respeito das músicas que aparecem em Black Gold e como foi o processo de seleção?

Russell: Inicialmente a gravadora pediu pra gente e achamos que seria uma boa ideia. Como artistas nós não temos a tendência de ficar relembrando o passado e pensamos mais a respeito do futuro, mas após três discos com a formação original e outros três com a formação atual nós entendemos que seria legal resumir tudo. Tentamos cobrir todos os discos e também colocamos três músicas inéditas para a fanbase. Para nós é mais uma coleção do que um “best of”.

TMDQA!: Vocês poderiam nos falar um pouco mais sobre as três novas canções que aparecem no álbum? Elas foram gravadas durante as sessões de “Violence”?

Russell: Não, elas foram gravadas depois com o produtor Jacknife Lee em Los Angeles. Nós pensamos que já que faríamos uma coletânea, deveríamos trabalhar com alguém do passado, e Jacknife apareceu nas nossas lembranças já que trabalhamos com ele há 10 anos. As três músicas têm climas bem diferentes, e ele conseguiu colocá-las no mesmo lugar.

TMDQA!: Além das inéditas, a edição deluxe de Black Gold tem versões acústicas de músicas que vocês lançaram anteriormente, como a belíssima “Smokers Outside The Hospital Doors”. Como vocês se sentem a respeito dessas versões despluagadas e como foi revisitar as canções com uma nova abordagem?

Russell: Pela forma como as canções foram escritas elas sempre funcionarão nesse ambiente. Eu me lembro que o Acústico MTV do Nirvana foi um dos meus discos favoritos quando eu era moleque. Eu acho que você sempre tem uma crueza com versões acústicas já que não há nada cobrindo as canções.

TMDQA!: Muita coisa mudou desde que vocês começaram e a indústria da música não é a mesma, nem o cenário político/social ao redor do mundo. Quando uma banda lança uma coletânea, é natural olhar para trás e se lembrar de coisas que aconteceram nos últimos dias, e provavelmente vocês embarcaram nesse aviagem também. Como vocês descreveriam voltar ao meio dos anos 2000, comparando suas músicas, letras, shows e atmosfera do mundo todo naquela época e hoje em dia?

Russell: A metade dos anos 2000 foi um período muito divertido. Nós aproveitamos e tudo era um turbilhão. Nós excursionamos muito e demos a volta no globo várias vezes. Para mim, o mundo mudou e não mudou. A imersão da Internet parece fazer com que as pessoas achem que têm mais visões sobre o mundo ou que as coisas são mais dramáticas. Eu não acho que é verdade, eu acho que as pessoas estão prestando atenção ao equivalente de pessoas gritando de janelas na rua. O Presidente Trump e Boris Johnson parecem ser muito loucos, mas não mais loucos do que qualquer outro líder maluco que veio antes deles.

TMDQA!: Como vocês descreveriam o papel da arte em tempos como os que vivemos? Mesmo que as suas letras não sejam políticas, há algo na música que acaba tocando todo mundo.

Russell: Verdade. A música é a trilha sonora da vida. Se há alguma catarse, uma esperança, então haverá um fator importante para um indivíduo. Tocar alguém pessoalmente é o ponto máximo que conseguimos como músicos.

TMDQA!: Agora uma pergunta difícil: já que vocês estão lançando uma coletânea que marca uma era, quais diriam que são as suas 3 músicas e seus 3 discos favoritos do Editors?

Russell: Músicas: “The Phone Book”, “Let Your Good Heart Lead You Home”, “The Law. Discos: The Back Room, In This Light, Violence.

TMDQA!: Quais discos de outros artistas você acha que são como melhores amigos para você?

Russell: Meus melhores amigos na forma de discos; Boxer, do The National, Remain In Light do Talking HeadsMurmur do R.E.M., In Rainbows do Radiohead e Violator do Depeche Mode. Só para citar alguns dos meus amigos.