Linn da Quebrada celebra a vida no clipe de “Oração”
Foto: Gabriel Renne
 

O Brasil é o país que mais mata pessoas LGBT+. Nesse contexto, é mais que necessário celebrar a vida dessa comunidade. Por isso, Linn da Quebrada lançou o clipe de “Oração”.

Segundo o Grupo Gay Bahia, entidade que há 39 anos registra dados de violência contra LGBTs no Brasil, aqui ocorre uma morte a cada 19 horas. Só no ano passado, 445 gays, lésbicas e travestis foram mortos, a maioria com requintes de crueldade.

A artista explica que o trabalho vem para afirmar vidas e lembrar delas. “Cada vez mais tenho entendido o meu trabalho como continuação de mim mesma e daquelas que vieram antes de mim, e que assim seguem vivas em nossas vitórias e conquistas”, disse.

É um ritual de preservação e celebração de nossas vidas, de cuidado e proteção. ‘Oração’ não é sobre mim. É sobre nós, nós por e para nós. E também sobre o que desatamos para vivermos outras experiências.

A obra conta com participações especiais de Liniker, Verónica Valenttino,Ventura Profana, Urias, Danna Lisboa, Alice Guél, Ceci Dellacroix, Magô Tonhon, Rainha Favelada, Kiara Felippe, Ana Giza, Maria Clara Araújo e Neon Cunha.

Gravado entre Julho e Agosto de 2019, o vídeo foi dirigido por Sabrina Duarte e roteirizado por ela e Linn.

No dia da filmagem, que aconteceu numa igreja abandonada na região da Brasilândia, em São Paulo, a equipe de produção teve de responder a um grupo de fiscalização que chegou no local. Mesmo autorizada e munida de toda a documentação exigida para o uso do lugar, a produção sofreu uma longa interrupção, o que forçou Linn e Sabrina a terem de adaptar o roteiro de última hora. “Houve ali uma disputa de território, de um espaço que é público. A violência, mais uma vez, se reitera. Por isso tivemos que reinventar forças entre a gente para ocupar e permanecer naquele espaço”, finaliza.