Scott Stapp
Crédito: Renan Facciolo
 

Em alguns dias, Scott Stapp, uma das vozes mais famosas do rock mundial entre o final dos anos 1990 e início da década de 2000 a frente do Creed, desembarca no Brasil para uma série de seis apresentações.

O astro de 46 anos começa a mini turnê do novo álbum, The Space Between the Shadows, lançado neste ano, por Fortaleza (8/11), depois segue para Porto Alegre (10), Curitiba (13), Brasília (14), Rio de Janeiro (16) e encerra a tour em São Paulo (17).

Antes de sua chegada ao país, o cantor conversou com o TMDQA! sobre o novo trabalho, a passagem pelo Brasil, sua dependência química e o apoio da família nessa jornada contra seus demônios e vícios. O resultado dessa entrevista sincerona você confere a seguir:

TMDQA!: “The Space Between the Shadows” chega após difíceis batalhas travadas nos últimos anos. O que este álbum representa para você?

Scott Stapp: Ele me deu um grande sinal de reconhecimento e me preencheu de diversas formas. Houve um longo período da minha vida em que eu estava lutando contra os meus problemas e eu não sabia se eu estaria apto a fazer música de novo. Então superar essas questões e se reconectar comigo mesmo, com a minha criatividade, tudo isso foi incrível. Eu me sinto tão grato e ver o álbum tão bem recebido em todo o mundo até agora tem sido outro presente.

Mas definitivamente foi algo que, em certo ponto, não acreditava que poderia fazer de novo, então ter o finalizado e feito 75 shows nos Estados Unidos, e também ter agendado datas no México e no Brasil em turnê com este álbum, faz eu me sentir muito abençoado e agradecido.

Crédito: Sebastian Smith
Crédito: Sebastian Smith

TMDQA!: Sua família sempre foi uma poderosa aliada para você conseguir superar seus vícios e a depressão. Como sua mulher, Jaclyn, e filhos encaravam esses desafios ao seu lado? Como é o Scott Stapp em casa?

Scott Stapp: Felizmente, meus filhos nunca presenciaram meus momentos ruins. Eles me conhecem apenas como pai deles, um cara que os ama, que sempre esteve presente e envolvido em suas vidas. Minha esposa, sim, precisou sobreviver comigo em meio aos altos e baixos que encarei, durante todos os períodos sombrios e obscuros da minha vida. Eu posso dizer que ela tem sido minha rocha, a minha força quando eu sou fraco.

Ela lutou por mim quando nem eu mesmo estava lutando mais. Ela tem sido tudo para mim, me ajudando a encontrar esse novo lugar, sustentando esse novo capítulo na minha história. Com certeza, sem ela eu não teria conseguido sair do fundo do poço e realizar esse álbum como uma volta por cima.

TMDQA!: Em 2011, você precisou cancelar os shows no Brasil. No ano seguinte, se apresentou com o Creed pela primeira vez no país. Qual é o sentimento em finalmente trazer seu show solo para cá?

Scott Stapp: Eu estou extremamente empolgado por levar este show para o Brasil. O país de vocês sempre foi um grande mercado para o Creed e também para a minha carreira solo desde o começo. Eu não sei se vocês sabem, mas fora dos Estados Unidos, o Brasil tem a maior base de fãs do Creed e minha também. E tudo isso me deixa “incendiado”, e apaixonado, o que vou carregar para o palco. Vou fazer os shows com a mais alta e poderosa energia, vai ser uma noite de puro rock n’ roll e intensidade. Eu preciso entregar tudo em troca de todo amor e apoio que o Brasil tem me dado.

TMDQA!: Por falar em Creed, quais as principais diferenças entre estar em uma banda mega aclamada e famosa e se lançar em uma carreira sozinho? É desafiador?

Scott Stapp: Não existe diferenças, a não ser pelas pessoas que estão no palco comigo. É entrar em turnê, é se apresentar, essas coisas. Eu tenho um bom relacionamento com os meus companheiros no Creed, tenho um relacionamento ainda melhor com a minha banda solo. Todos que estão hoje comigo são excelentes músicos. Eles levam cada apresentação ao mais alto nível, são todos muito competentes. Eu estou bastante ansioso para apresentá-los aos fãs brasileiros.

Crédito: Sebastian Smith
Crédito: Sebastian Smith

TMDQA!: Suas composições sempre falaram sobre Deus e mensagens divinas nas entrelinhas. Você é um homem espiritualizado? Qual é a sua relação com a religião?

Scott Stapp: Eu sou cristão e levanto esta bandeira com muito orgulho. Eu sou um homem de fé, apesar de ter tido as minhas batalhas internas. Isso é o que me torna humano. Sem Deus na minha vida, além da minha mulher, eu não teria superado meus vícios. Eu acho que muitas pessoas pensam que só porque você é cristão, ou porque você tem fé em algo,
você não vai encarar batalhas e desafios na sua vida, ou fracassar, ou cometer erros. E na realidade essas suposições estão tão longe da verdade.

Acredito que Deus e o cristianismo existem para aqueles que são humanos, que fraquejam e que precisam ter fé. Sinto que a minha fama funciona como uma plataforma para compartilhar minhas experiências com outros que possam estar passando por momentos difíceis.

TMDQA!: Quais as suas referências no rock hoje em dia? O que você tem escutado?

Scott Stapp: Para ser honesto, por causa dos meus filhos, eu não tenho tido oportunidade de escutar muita coisa. Quando estou no carro, ou quando estou em casa, eles controlam o que eu escuto. Meu filho mais novo, Anthony, que vai fazer dois anos neste mês, assiste a todas essas referências infantis que a gente encontra por aí, e isso acontece 24 horas por dia. Já no carro minha filha gosta de escutar pop e o mais velho varia entre o rock e o pop.

Por alguma razão, ele gosta de escutar minhas próprias canções quando estamos no carro. Mas eu tenho escutado uma banda americana chamada Badflower. Acho o grupo extremamente talentoso e eles compõem muito bem. São letras sobre a vida real e que se conectam emocionalmente com a gente. Eles são excelentes ao vivo e vocês devem ouvir falar muito bem deles nos próximos anos e nos outros que virão.

Crédito: Jenn Curtis
Crédito: Jenn Curtis

TMDQA!: Já conhece algum artista brasileiro? Tem vontade de ouvir a música que nós fazemos por aqui?

Scott Stapp: Eu conheço uma grande banda de rock brasileira, mas não consigo lembrar o nome agora. Eles me convidaram para me apresentar com o grupo em uma famosa premiação que acontece por aí. Infelizmente, eu estava em turnê e precisei declinar. Queria ter podido aceitar e eu lamento não lembrar do nome, acho que eles estão na estrada por tipo 20 anos. Eles são realmente muito bons e sou familiarizado com o som deles.

TMDQA!: Deixe um recado para seus fãs no Brasil. Sinta-se à vontade para convidá-los para a turnê neste mês.

Scott Stapp: Eu não vejo a hora de encontrá-los no show para compartilhar com vocês as canções do The Space Between the Shadows. Então venha nos encontrar, escute o álbum, se prepare para cantar as faixas que vamos tocar. Eu sei que vocês não se decepcionarão. E também se preparem para ouvir nove entre dez músicas favoritas do Creed, que eu sei que vocês amam. Em resumo, se preparem para uma noite de muita energia e rock n’ roll”.

SERVIÇO:

08/nov – Complexo Armazém – Fortaleza (ingressos)
10/nov – Araújo Viana – Porto Alegre (ingressos)
13/nov – Reconcert Curitiba (ingressos)
14/nov – Toinha Show – Brasília (ingressos)
16/nov – Circo Voador – Rio De Janeiro (ingressos)
17/nov – Audio – São Paulo (ingressos)