Skank
Foto via Wikimedia Commons
 

Samuel Rosa, vocalista e guitarrista do Skank, anunciou hoje (03) o fim das atividades da banda.

Em conversa com a coluna de Mônica Bergamo para a Folha Ilustrada, o vocalista afirmou: “É arriscado viver a vida sem correr riscos. O Skank já não oferece mais riscos. É muito cômodo.”

A entrevista exclusiva para a Folha de São Paulo dá detalhes da decisão. O cantor declara que planeja junto com a banda uma turnê “30 Anos”, que será uma “de despedida”. E completa:

Ainda tenho pretensão de voltar a tocar com o Skank. Vislumbro isso lá na frente. Só que de outra forma, em outra circunstância, em algum projeto pontual.

Com a decisão tomada e aparentemente sem chance de voltar atrás, o cantor faz planos para o futuro e explica que a decisão partiu dele, mas que toda a banda o apoiou.

Uma nota enviada pelo grupo à Folha dá conta do clima amistoso da despedida. Ainda de acordo com a coluna, o baixista Lelo Zaneti afirmou: “Não acreditamos que é preciso estar em baixa para dar uma parada, não precisa ser trágico, nem problemático.”

Já o tecladista Henrique Portugal reforçou: “É um grande desafio pessoal para cada um. Pode ser extremamente saudável nos reinventarmos.” A matéria não menciona a opinião do baterista Haroldo Ferreti a respeito do desmanche da banda.

Turnê “Os Três Primeiros” e novos rumos

Não é de hoje que Samuel Rosa dá sinais de que gostaria de saltar em voos solos. Para a própria Folha, ele explicou que já quis parar o Skank antes.

Sempre nos vi entre os três grupos com maior trânsito em rádio, festivais, vendagem de discos. Não lembro de um ostracismo da banda. Mas sempre que eu começava a achar que tinha caído no esgotamento de vez, vinha um Planeta Atlântida te chamando para o casting. Um show com sold out em Belo Horizonte. Parece que se eu não falar ‘chega!’, o Skank não vai acabar nunca.

O flerte com uma carreira solo também já não é novidade. Entre parcerias com Fernanda Takai, Graforréia Xilarmônica, Cachorro Grande, Milton Nascimento, Lô Borges, Chico Amaral e pequenos projetos solo, como sua participação no Explora Sessions (relembre aqui), Samuel está desde metade dos anos 2000 investindo em aventuras fora do Skank. Aparentemente, a hora para arriscar voos mais altos finalmente chegou.

Enquanto a turnê de despedida não chega, ainda dá para se aventurar nos próximos shows (provavelmente os últimos) do Samuel dentro do Skank, com a turnê #OsTrêsPrimeiros. O site da banda ainda conta com datas para 2019, então, se eu fosse você, corria para garantir o seu!

Leia tudo o que já publicamos sobre o Skank aqui.