Twitter
Foto de Stock via Shutterstock
 

É, parece que o Twitter já está tomando decisões em relação às próximas eleições no mundo todo.

Com 2020 prometendo ser um ano quente, já que Donald Trump irá tentar a reeleição nos Estados Unidos, os responsáveis pela rede social anunciaram que encerraram todas as propagandas políticas no mundo todo.

Assim como em outras plataformas como Facebook e Instagram, o Twitter permite que mensagens sejam impulsionadas com investimento em dinheiro, e, até hoje, propagandas políticas eram permitidas, o que muda completamente de figura com a nova decisão.

Twitter e o Fim dos Anúncios Políticos

Em seu perfil oficial, o co-fundador e CEO do Twitter, Jack Dorsey, falou:

Nós tomamos a decisão de parar todos os anúncios políticos no Twitter em escala global. Acreditamos que o alcance de mensagens políticas deve ser conquistado e não comprado. Por que? Alguns motivos…

Uma mensagem política ganha alcance quando as pessoas decidem seguir uma conta ou retwittar. Pagar por alcance remove essa decisão, forçando mensagens políticas altamente otimizadas e com alvos certos nas pessoas. Nós acreditamos que essa decisão não deveria ser comprometida por dinheiro.

Enquanto os anúncios de internet são extremamente poderosos e eficientes para anunciantes comerciais, esse poder traz riscos significativos à política, onde pode ser utilizado para influenciar votos que afetam as vidas de milhões de pessoas.

Anúncios políticos de internet apresentam novos desafios para o discurso cívico: otimizações de mensagens baseadas em processo de aprendizado de máquina e micro-alvos, informações errôneas sem checagem e deep fakes. Tudo crescendo cada vez mais, em grande escala.

Esses desafios irão afetar TODA a comunicação da internet, não apenas anúncios políticos. É melhor colocar o foco dos nossos esforços na raiz dos problemas, sem o peso adicional e a complexidade que receber dinheiro traz. Tentar consertar os dois significar não consertar nenhum direito e isso mancha a nossa credibilidade.

Por exemplo, não existe credibilidade quando dizemos: ‘Estamos trabalhando duro para fazer com que as pessoas parem de usar os nossos sistemas para espalhar notícias falsas, maaaas se alguém nos paga para alcançar certos alvos e forçar pessoas a ver seus anúncios políticos, então eles podem dizer o que querem!’

Após o anúncio do Twitter, o mundo da publicidade está curioso para ver se outras ferramentas de mídias sociais irão tomar o mesmo rumo.

     
 
Compartilhar