Donald Trump
Foto via Wikimedia Commons
 

A campanha eleitoral dos EUA para 2020 já está a todo vapor.

Em um comício realizado em Minneapolis, no Target Center, Donald Trump proferiu alguns ataques gratuitos a astros da música. Apoiadores e amigos do ex-presidente Barack Obama, o icônico casal Beyoncé Jay-Z foi citado pelo atual comandante e nem o Bruce Springsteen escapou dessa vez.

Ao final da matéria você pode conferir o discurso completo, no qual ele ainda criticou Hillary Clinton e Obama. Sobre os músicos, ele disse o seguinte:

Eu não precisei da Beyoncé e do Jay-Z. Eu não precisei do pequeno Bruce Springsteen, que aparecia nos comícios para tocar umas duas músicas, e ia embora… e todo mundo ia embora com ele. E [a Hillary Clinton] ainda falando na frente da mesma plateia preguiçosa. A coisa mais doida que já vi.

Vale ressaltar que uma banda cover do “pequeno” Springsteen cancelou sua participação na festa de posse de Donald Trump anos atrás. O motivo citado por eles foi um respeito à posição política de Bruce.

Problemas com música de Prince

O evento em Minneapolis realmente deu o que falar. Além da crítica aos famosos do mundo da música, Trump arranjou confusão com outro músico lendário.

Ao usar um trecho de “Purple Rain”, do Prince, para sua entrada, o presidente quebrou uma promessa de mais de um ano atrás. Segundo o Twitter oficial do falecido músico, Trump havia prometido não usar nenhuma canção de Prince em suas campanhas através de uma carta datada de 15 de Outubro de 2018.

O tweet diz o seguinte:

O presidente Trump tocou “Purple Rain”, do Prince, hoje à noite em um evento de campanha em Minneapolis apesar de ter confirmado um ano atrás que a campanha não usaria músicas do Prince. Os administradores das propriedades de Prince nunca irão ceder permissão ao presidente Trump para usar as canções de Prince.