Chico Buarque
 

O influente músico brasileiro Chico Buarque usou a sua conta oficial no Instagram para falar a respeito do Prêmio Camões.

Por lá, o artista publicou uma foto sua acompanhada da frase “A não assinatura do Bolsonaro no diploma é para mim um segundo prêmio Camões.”

Se você não entendeu, a gente explica.

Chico Buarque, Prêmio Camões e Bolsonaro

O Prêmio Camões foi criado pelos governos do Brasil e de Portugal em 1988 e a ideia é celebrar autores que tenham contribuído para o enriquecimento do patrimônio literário e cultural da língua portuguesa.

Entregue anualmente, o vencedor de 2019 foi justamente Chico Buarque, e o protocolo diz que ele receberá 100 mil euros, valor dividido entre Brasil e Portugal.

Fontes dizem que a parcela brasileira já foi paga mas que Jair Bolsonaro, atual presidente do país, não teria assinado o diploma, já que Chico é um grande crítico do seu governo.

Ao ser questionado, ele fez piada com o fato de que teria até o fim do mandato (e já imaginou mais quatro anos do seu governo, chegando a oito), dizendo: “Eu tenho prazo? Então 31 de Dezembro de 2026 eu assino.”

Marcelo Rebelo de Sousa, presidente de Portugal, disse que já assinou o diploma e ficou surpreso ao saber que seu colega do outro lado do Atlântico não havia feito o mesmo.

Outros Vencedores

Brasil e Portugal estão empatados no ranking de vencedores do Prêmio Camões, com 13 cada um. O último brasileiro a ter sido celebrado havia sido o escritor Raduan Nassar, em 2016, e antes deles outros nomes como Dalton Trevisan, João Ubaldo Ribeiro e Lygia Fagundes Telles também o conquistaram.

Escritores de Angola, Moçambique e Cabo Verde também já levaram o Prêmio Camões.

     
 
Compartilhar