Tagua Tagua
Foto: Guillermo Calvin
 

Projeto de Felipe Puperi, intitulado Tagua Tagua, retorna com o single “Peixe Voador”. Presente na trilha sonora do emblemático jogo FIFA 2020, da EA Sports, a canção traz um faceta mais dançante do artista, muito suingue guiado por uma percussão bastante ‘abrasileirada’.

Segundo Felipe, a letra lúdica fala sobre o poder interno dentro de si. “Acho que é uma faixa otimista e esperançosa, na qual a guitarra cheia de fuzz acaba levando todo o resto”, conta. Ouça:

Neptunea

Neptunea
Foto: Lucci Antunes

Uma jornada solitária no deserto da Antártica é o cenário escolhido para “AUM”, clipe que lança Neptunea, projeto solo de Rafael Bulleto. A canção traz uma sonoridade calma, que surge novos ambientes, a partir do uso do sintetizador. O vídeo, que foi dirigido por Matias Borgström, da Salga Filmes, sintetiza ideias sobre a imensidão do espaço e do tempo, e a relação entre a luz e a sombra, o que coloca o ouvinte em uma atmosfera reflexiva.

Assista:

Terceiro Mundo Bom

Terceiro Mundo Bom
Foto: Karen Tribuzy

A banda Terceiro Mundo Bom volta no tempo em seu novo clipe, para a faixa “Pérolas Irregulares”. A canção, assim como a de Tagua Tagua, também perpassa por elementos abrasileirados, com inspiração como a tropicália e o manguebeat, e misturando com uma sonoridade voltada ao stoner, junto de uma letra ácida.

O clipe, que faz paralelo com o expressionismo alemão e o surrealismo, estilos voltados à arte cinematográfica, mostra o vocalista Diogo Brandão por alguns pontos do Rio de Janeiro em meio a referências de grandes obras da sétima arte. Alguns deles são O Gabinete do Dr. Caligari (1920) e Nosferatu (1922). Tudo isso para mostrar a apreciação pelo cinema que a banda possui. Assista:

João Werneck

João Werneck
Foto: Heitor Muniz

Compondo um universo poético-sonoro que dialoga com materialidade e espiritualidade, João Werneck sintetiza tudo isso no disco de estreia, Subplanos. Expresso de forma fluida nas dez faixas que compõem o álbum, o artista traz influências que acolhem desde a música de Jards Macalé e Arnaldo Baptista até Neil Young e Radiohead.

O destaque do disco foi o processo de gravação, que fora realizado numa antiga construção do século 20, e, com isso, resultou em uma sonoridade bastante diferente do que seria em estúdio. Com elementos experimentais que perpassam do eletrônico e do orgânico, João traz mensagens atuais ao contexto sociopolítico, com extrema sensibilidade e coerência. Ouça:

Vagale

Vagale
Foto: Vitor Lage

Coeso e denso, o quarteto Vagale traz ao mundo o disco Ruído Branco. Com letras e arranjos inspirados, as oito faixas ousadas surgem por meio dos instrumentos de sopros, percussão e uso de elementos eletrônicos, com influências que vão do indie a MPB e Bossa Nova.

Pensado para ser ouvido de forma introspectiva, os temas abordados passam por religião, relações pessoais, política, consumismo e o medo da morte. O resultado tornou-se todas as frequências sonoras dos integrantes numa intensidade só. Confira: