Keith Moon
Foto: Wikimedia Commons
 

Sem dúvidas um dos caras que levou a atitude rock’n’roll a maiores extremos foi o saudoso baterista Keith Moon, parte da formação clássica do The Who.

Mas o auge da loucura provavelmente ocorreu em 1967, quando o músico foi causando o caos em cidades por onde a banda passava. Em uma dessas aventuras, no entanto, Moon teria supostamente passado dos limites na comemoração de seu aniversário de 21 anos e jogado um Lincoln Continental (carro de luxo americano) na piscina de um hotel em Flint, no estado americano de Michigan.

Confira os relatos de membros da banda e equipe, publicados originalmente na revista americana Classic Rock #175 de 2012.

Keith Moon

Harvey Lisberg [empresário da banda Herman’s Hermits]: Keith era doidão. Ele tinha duas personalidades — uma era selvagem e insana, e a outra era um músico sensacional.

Peter Cavanaugh [DJ da Rádio WTAC de Flint, Michigan]: Eu estava no show com alguns ouvintes, alguns dos nossos DJs e um pessoal das rádios de Detroit que apareceram lá. O The Who destruiu o palco. Todo mundo ficou embasbacado. Depois do show nós fomos ao Holiday Inn [rede de hotéis americana].

Barry Whitwam [baterista do Herman’s Hermits]: Tudo começou de forma bem inocente. Era aniversário do Keith, e um ou dois bolos de aniversário foram entregues a ele.

Keith Moon [falando em 1972]: A Premier Drum Company tinha me dado um bolo de aniversário enorme com, tipo, cinco baterias empilhadas uma em cima da outra.

Barry Whitwam: A turnê toda se juntou na sala de jantar pra ver os bolos. Todo mundo estava pronto para uma festa. Keith Moon deixou seu prato na mesa e enfiou seu dedo no creme em cima de um dos bolos e deu um peteleco de bolo no Karl Green [baixista do Herman’s Hermits] que estava ao lado dele. O creme acertou o Karl no rosto e todo mundo rio – menos o Karl, que enfiou seu dedo no bolo mais próximo e deu um peteleco de volta na cara do Keith. Em alguns segundos todo mundo na sala estava jogando bolo um no outro. Demorou só cinco minutos para a sala se tornar o que parecia o interior de um bolo.

Keith Moon
Keith Moon, baterista do The Who

Tom Wright [fotógrafo, gerente de estrada]: O gerente do hotel vem ao Keith e diz a ele que isso não vai rolar: “Nós precisamos parar com isso, agora”.

Keith Moon: Enquanto a festa se degenerava em uma disputa de xingamentos, eu peguei o bolo – as cinco camadas – e o joguei na multidão. As pessoas começaram a pegar pedaços e jogá-los pra todo lado. Todo mundo estava coberto de marzipan e açúcar de confeiteiro e bolo de fruta.

Tom Wright: Eu sabia que isso não ia pegar bem com ninguém. Eu falei pra ele [o gerente] que nós iríamos controlar aquilo e tal, e ele saiu de lá.

Peppy Castro [guitarrista do Blues Magoos]: A piscina estava cheia de vidro quebrado porque o Keith ficava jogando garrafas na piscina. Eu fiquei puto por causa do dano que ele estava causando.

Carro jogado na piscina?

Keith Moon: Meia dúzia de carros estavam estacionados em volta dessa piscina. Eu corri, pulei no primeiro carro que eu encontrei, que era um Lincoln Continental novinho. Ele estava estacionado em um morrinho, e quando eu puxei o freio de mão ele começou a descer, até que ele atropelou a grade que protegia a piscina e o Lincoln Continental inteiro foi parar na piscina – comigo dentro.

Peter Cavanaugh: Eu estava em um quarto. Eu ouvi o barulho e fui lá fora, e a primeira coisa que eu vi foi o veículo na piscina. Nós todos havíamos bebido várias cervejas, e algumas outras coisas também, então as coisas podem ter ficado um pouco nebulosas, mas eu lembro claramente de ver o veículo na piscina.

Keith Moon: Então ali eu estava, sentado no banco do motorista de um Lincoln Continental, submerso. E a água estava entrando – entrando através dos malditos buracos dos pedais no chão, se espremendo pelas janelas. Em um assustador momento de lógica, eu disse: “Bom, eu não consigo abrir as portas até que a pressão seja a mesma”. É incrível como eu lembrei dessas coisas da minha aula de física. Então eu estou sentado ali, pensando na minha situação, e a água começa a chegar no meu nariz. Logo que tem ar suficiente no carro para dar um mergulho, eu encho meus pulmões, abro a porta e subo ao topo da piscina. Aí eu voltei pra festa, pingando água.

Barry Whitwam: Não havia nenhum carro na piscina, só todas as mesas e cadeiras da piscina, e o Keith nunca voltou pingando água.

Tom Wright: À 00:01, o gerente do hotel volta correndo e diz: “Caramba, isso soa mais como uma revolução do que uma festa de aniversário…”, e você não pode fazer isso e não pode fazer aquilo. Ele estava começando a dar um sermão quando o Keith pegou o que sobrou do bolo de cinco camadas e só enfiou tudo na cara do sujeito. Todo mundo na sala ficou em silêncio.

Barry Whitwam: Não satisfeito, o Keith foi até o Karl Green, rasgou a calça do Karl do bolso até o joelho, e riu na cara dele para provocá-lo. Aí o Karl andou até o Keith e puxou as calças dele tão forte que a costura rasgou todinha, e o Keith ficou ali, sem calças. A sua cueca tinha sido puxada junto com suas calças e, para piorar, ele só estava vestindo uma camiseta curta que não fazia nada para cobrir sua vergonha.

Todo mundo achou isso hilário, menos o policial que, até então, deveria estar nos protegendo do mundo externo. Quando ele viu as partes íntimas do Keith, ele puxou seu revólver e andou até o Keith para prendê-lo por quebrar a lei no estado de Michigan. A coisa mais engraçada é que o policial ainda estava apontando sua arma para as partes de Keith.

O dente quebrado de Keith Moon

Keith Moon: Eu corri. Eu comecei a dar no pé até a porta, e aí eu escorreguei em um pedaço de marzipan e caí de cara no chão e quebrei um dente.

John Entwistle [baixista do The Who]: Ele estava tão puto que ele tropeçou e caiu e quebrou seu dente.

Nancy Lewis [jornalista americana]: Ele estava tão fora de si que ele nem se ligou no que aconteceu. Ele teve que ser levado rapidamente ao dentista.

John Entwistle: Eles o operaram sem nenhum anestésico, porque ele estava bêbado.

Keith Moon: Então ele teve que arrancar o que estava sobrando do dente e colocar um falso.

John Entwistle: Enquanto nós estávamos no dentista, o resto da equipe ficou extremamente bêbada e começou a usar extintores de incêndio para pichar o estacionamento.

Karl Green: A gente acabou tendo lutas, ataques com extintores de incêndio, arrancando as grades ao redor da piscina e jogando lá dentro, arrancando máquinas de venda automática das paredes para pegar batatas.

Barry Whitwam: Peter Noone e eu decidimos ajudar a limpar o bolo um do outro usando extintores de incêndio. O que não sabíamos é que os extintores tinham um químico em seu fluido que removeria a tinta de carros.

Peter Noone [vocalista do Herman’s Hermits]: Esse extintor de incêndio remove toda a tinta de carros. Então chegou uma conta cara.

Barry Whitwam: Keith Moon foi creditado com a maior parte dos danos ao hotel mas, na verdade, ele teve muito pouco a ver com isso.

Aconteceu ou não?

Barry Whitwam: Nos cobraram $25,000 por carpetes, papeis de parede e tetos novos.

Peppy Castro: O teto de estuque no restaurante do Holiday Inn teve que ser refeito por conta de todo o bolo que foi jogado ali.

Keith MoonSeis dos carros tiveram de ser pintados novamente. Nós ainda destruímos um piano. O reduzimos a gravetos. E não esqueça do carpete. E o Lincoln Continental no fundo da piscina.

Peter Noone: Isso nunca aconteceu. Ele contava histórias. Ele só esqueceu o que aconteceu.

Roger Daltrey [vocalista do The Who]: Eu vi. Nós pagamos a conta [pelos danos]. Foi $50,000. É vago agora, mas eu lembro do carro na piscina. Mas aí eu li na biografia que isso nunca aconteceu, então talvez eu esteja vivendo a vida de outra pessoa, sei lá.

Barry Whitwam: Não tem nem como o Keith ter dirigido um carro para dentro da piscina naquela noite sem que eu soubesse.

Peppy Castro: Eu pessoalmente não vi o Keith dirigir um carro para dentro da piscina. Então se aconteceu eles devem ter tirado o carro bem rápido. Eu estava lá.

John Entwistle: Ele nunca dirigiu o carro para dentro da piscina. Ele nem conseguia dirigir.

LEIA TAMBÉM: Zak Starkey (The Who) celebra brasileiros do Beach Combers: “o Keith Moon gostaria deles”

 
 
Compartilhar