A nostalgia como força motriz para seguir adiante é personagem central no belo clipe “A Saudade”, do carioca Carlos Sales.

Ao falar de um tema tão universal, o compositor torna a canção também pessoal ao cantar sobre a escolha de viver de música e não cumprir exatamente o futuro que seus pais imaginavam; da dor que se atenua quando pega um violão e da esperança por tempos melhores no futuro. E isso se torna muito bonito quando você descobre que o artista usou para representar a passagem do tempo a sua própria família, com seu pai e filho em cena. A direção é de Daniel Lobo.

“Sempre achei que essa música merecia um clipe por ser uma canção bastante intensa e tratar de um assunto recorrente na vida de todo mundo. Quando chamei o Daniel pra dirigir o clipe, ele rapidamente teve essa ideia de juntar três gerações ilustrando o tempo que é, de fato, o maior agente causador da saudade. Acabamos filmando todo ele num sítio que fez parte da infância do meu pai, da minha, e agora do meu filho. Foi muito emocionante estar ali naquele lugar tão especial pra toda a família, com tantas lembranças boas, cantando a música que fala da saudade”, explica Carlos.

Multi-instrumentista, Carlos Sales se apresenta com vários artistas da cena carioca como Qinho e Maurício Baia. Além disso, integrou bandas como Medusas, Mané Sagaz, Les Pops e Stereomoog e já fez shows também com Arnaldo Brandão, com a banda Hanoi Hanoi e foi baterista em alguns shows do projeto Baú do Raul.

Essa faixa fecha o último disco solo do artista, Prá lá de sério. Embora o trabalho passeie por uma gama de ritmos, instrumentos, temáticas e influências, a última canção traduz a seriedade do título do álbum em um arranjo minimalista. Nela, o próprio Carlos Sales assume violão, piano e alguns sintetizadores.

Você confere o clipe e o disco abaixo: