System Of A Down - Toxicity
 

04 de Setembro de 2001, nesse dia o System Of A Down lançaria seu segundo disco, Toxicity, e já entraria para a história.

A banda californiana havia feito barulho com o disco homônimo de estreia em 1998 principalmente por apresentar ao mundo do Heavy Metal uma sonoridade bem distinta, unindo elementos como o peso das guitarras a vocais e riffs experimentais e a influência oriental de seus integrantes, todos com ascendência armênia.

 

Muito mais que “Chop Suey!”

Não há dúvidas: Toxicity vendeu 200 mil cópias na semana de estreia e chegou ao topo da Billboard muito em função do mega hit “Chop Suey!”, marca registrada da banda até hoje.

Mas o disco é muito mais que isso.

Desde a abertura com a pedrada de “Prison Song” até o final com a belíssima “Aerials”, o álbum é uma coleção de canções repletas de conteúdo político e social, todas afiadíssimas e com ganchos que tanto prendem a atenção do ouvinte quanto tornam o álbum diferente de tudo que foi lançado na época.

Faixas como “Jet Pilot” mostram as influências do Metal, do Hardcore e dos antepassados dos músicos, no que vira um grande caldeirão aliado ao sarcasmo e aos agudos de faixas como “Bounce” e a melodias incríveis como as da faixa título e de “Aerials”.

Produção e Composição

Quem produziu o disco foi o lendário Rick Rubin, conhecido por trabalhos com tantos grandes nomes do Rock, do Pop e do Hip Hop, como Beastie Boys, Run-DMC, Slayer, Red Hot Chili Peppers, Johnny Cash, Tom Petty, Aerosmith, The Mars Volta e muito mais.

Ele o fez ao lado do guitarrista Daron Malakian e do vocalista Serj Tankian, sendo que o primeiro é responsável pela composição de todos os instrumentais enquanto o segundo escreveu todas as letras, sendo “Prison Song”, “Needles”, “Deer Dance”, “Chop Suey!”, “ATWA” e “Aerials” parcerias com Daron.

Caos no Lançamento

Um dia antes do lançamento de Toxicity, em 03 de Setembro de 2001, o System Of A Down planejou um show gratuito em Hollywood para celebrar a ocasião.

Acontece que os organizadores esperavam cerca de 3.500 pessoas em um estacionamento e acabaram vendo que por lá apareceram entre 7 e 10 mil, o que obviamente terminou em confusão.

O show do SOAD foi cancelado pela polícia momentos antes do grupo subir ao palco mas nenhum anúncio foi feito para o público, que esperou por mais de uma hora após o horário marcado.

Depois do banner com o nome da banda ser removido do palco, o caos tomou conta do local e os fãs o invadiram, destruindo equipamentos e instrumentos avaliados em 30 mil dólares, jogando pedras na polícia e detonando banheiros químicos.

O empresário da banda alegou que tudo isso poderia ter sido evitado se a banda tivesse a chance de falar com o público após o cancelamento e um show que aconteceria em uma loja de discos no dia seguinte também acabou não acontecendo.

Caldeirão de Instrumentos e Influências

Apesar das guitarras altas predominarem no clássico instantâneo do System Of A Down, há inúmeras influências e instrumentos que compõem a beleza do disco.

Existem vários subgêneros do metal ali, como o thrash metal, o alternative metal e o metal progressivo, além do rock clássico e traços do folk e do jazz, como também, é claro, a música oriental.

Nomes como os Beatles foram citados como influência para Daron Malakian e as letras falam desde o excesso de presos nos EUA (“Prison Song”), até o abuso de drogas e a vida social da época (“Chop Suey!”).

Os assuntos não são sempre sérios, porém, já que o SOAD fala sobre sexo em “Bounce” e a respeito das groupies em “Psycho”, além de retratar pensamentos do assassino Charles Manson a respeito do meio ambiente em “ATWA”. Vale lembrar que Malakian é muito fã do cara.

Legado

Toxicity tornou-se um dos discos de Metal mais celebrados da história e um dos álbuns mais aclamados de 2001 por público e crítica. Até a super indie, descolada e exigente Pitchfork deu alta nota para o trabalho em sua resenha, com um 8.2, e o segundo lançamento do System Of A Down entrou em inúmeras listas mundo afora.

Além disso, influenciou diversas bandas que vieram mais pra frente e ainda pavimentou o caminho para a própria carreira, que da mesma forma rápida e agressiva que emplacou hits no álbum, entrou em hiato cedo demais, lançando apenas Steal This Album! logo em 2002 e a dobradinha Mezmerize / Hypnotize em 2005, formando seus últimos lançamentos até agora.

Hoje o sensacional Toxicity completa 18 anos de idade e é hora de celebrar!

Aperte o play logo abaixo e siga também nossa playlist oficial, invadida por músicas do álbum.

Divirta-se!

     
 
Compartilhar