Transquarto
Foto: Dinho Lacerda
 

O quarteto instrumental de Brasília Transquarto mostra toda sua urgência em Electromapas. Gravado por apenas 16 horas no Estúdio Refinaria, o disco é singular e linear em sua própria estrutura. As sete faixas que o compõem transitam em diversas sonoridades, que vão do jazz ao dub, de forma progressiva e densa. Todo o trabalho foi produzido, captado, mixado e masterizado por Jota Dale, e o resultado dessa viagem geográfica-musical você pode conferir no player abaixo:

NiLL

NiLL
Foto: ihateflash

Quarto trabalho do rapper NiLL, Lógos é um disco necessário. Do new wave ao trap, o disco traz letras objetivas e fáceis de se identificar. Com produções assinadas por O Adotado, Tan Beats, Crimenow e NaveBeatz em cada uma das 12 faixas, Lógos conta com a participação dos rappers BK, YungBuda, Callister, Mano Will e Melk. Ouça:

Igor Torres

Igor Torres
Foto: Divulgação

O brasiliense Igor Torres estreia com seu disco SambaLamento. Em oito canções que mesclam sensibilidade, balanço e profundidade, o músico apresenta senso musical apurado que passeia entre os gêneros de peito aberto, trazendo letras sobre amor, consciência política e bases na cultura afro-brasileira.

Produzido na Casacájá por Gustavo Halfeld, o material tomou forma espontânea, com arranjos que surgiam da inspiração do momento, assim como fez Igor também buscar uma renovação do samba e do jazz com a psicodelia, e flui rumo a descoberta de um lugar novo: a sambadelia, conceito criado pelo próprio Igor.

Confira o ótimo resultado abaixo:

Siba

Guiado por um coco com atmosfera completamente festiva, a ótima “Tempo Bom Redondin” não deixa espaço para moleza ou tristeza. Produzidmixadpor João Noronha em parceria com o próprio Siba, a canção aborda longas sequências de versos curtos, que são alternados por um refrão insistente.

Mostra do terceiro disco do artista, o single fala da relação conflituosa que as pessoas possuem com o tempo atualmente. Na letra, Siba brinca com as distintas concepções de tempo que são elaboradas, ou seja, o tempo linear e sucessivo em oposição ao circular, do ritual. Ouça:

Urias

Urias
Foto: Divulgação

O medo do mundo que se tornou obra de arte. Em meio à vulnerabilidade da violência em que a mulher trans é exposta que tornou-se desejo de amedrontar o opressor, a cantora Urias trouxe “Diaba”. Com as rimas ideais, de composição da própria artista, junto com Hodari, Gorky, Maffalda e Zebu, e uma produção bem delineada, com assinatura de Brabo, a canção traz beats cativantes, como elementos de samples gringos e canto gregoriano. O clipe, com direção de João Monteiro, faz jus ao single: denso, vivo e objetivo. Assista:

A transe

A Transe
Foto: Ligia Buzin

O duo de folk tropical Transe, de Vitória (ES), estreia o clipe de “Greta”. A faixa é a primeira a ser divulgada do próximo disco da dupla, formada pelo casal de cantores e compositores Francesca Pera e Fernando Zorzal. Com produção musical assinada pelo duo e por Gabriela Deptulski, e arranjos de Henrique Paoli, a canção aborda a conexão da linha materna através da experiência de ser mãe. Quanto ao clipe, que teve direção de arte e animação assinadas por Amanda Mape, traz uma perspectiva colorida e dançante, criando, assim, um universo lúdico dito na letra.

Assista:

Le Tour Du Monde

Le Tour Du Monde
Foto: Divulgação

O Le Tour du Monde, do Lucas Mayer e Iris Fuzaro, lançou clipe para a inédita “Te Vejo em Dezembro”. Embalada por um Folk MPB, muito gostoso e leve de ouvir, faixa faz parte da websérie “Som das Estradas”. Filmado pela primeira vez no Brasil, o projeto é documentando em uma viagem que cria novas músicas em cada região do país.

Nesse primeiro, o resultado veio pelas experiências na região Sudeste. Somando vozes, a canção contou com a participação de Markus Thomas (banda Versos que Compomos na Estrada), JotaPê, Yasmin Olí, Lulinha Alencar e Kabé Pinheiro. Assista: