Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
 

É notório que vivemos tempos de devastação ecológica e ambiental.

E essa é a pauta do clipe documental que a cantora Héloa gravou para o single “Agô”, que estará presente em seu próximo disco de estúdio, Opará. No vídeo, a artista denuncia a morte do Rio São Francisco, conhecido pelos índios justamente como Opará e que atravessa cinco estados: Bahia, Minas Gerais, Pernambuco, Alagoas e Sergipe.

O registro não poderia ter sido lançado em data mais especial. O clipe da música foi disponibilizado em 9 de Agosto, que marca o Dia Internacional dos Povos Indígenas. Ao lado do Cacique/Pajé Pawanã Karir-Xocó, Héloa mostra a tristeza daqueles que dependem do rio como maior fonte de sobrevivência e trabalho.

O vídeo teve direção de Raphael Borges e roteiro da própria cantora. A fotografia do clipe é de Edu Freire e as imagens foram captadas às margens do Rio Opará, entre os trechos sergipano e alagoano.

“Quando decidi fazer um disco todo dedicado à força das águas fui ao encontro do Velho Chico (Rio Opará) e retornei a aldeia Kariri-Xocó, a qual tenho relação há mais de 15 anos. Nesse novo contato, e durante todos esses anos, vi o Rio Opará morrendo, toda uma aldeia mudando seu modo de viver, se alimentar, se banhar, toda uma tradição sofrendo junto ao Rio. Entendi que era um chamado. Assim o foi”, conta Héloa, que foi iniciada no candomblé e consagrada nas tradições indígenas.

“O Cacique/Pajé Pawanã tem sido um grande mentor nessa caminhada, me convidou, para além de um disco, a mergulhar ainda mais nessa tradição. Fui escolhida e acolhida como filha da aldeia. Recebendo ensinamentos e a missão de ser porta-voz e guardiã das forças ancestrais das águas através da música”, completa.

Rituais e o sagrado

Com Zé Nigro na produção e Maurício Badé na co-produção, sob a direção artística de Héloa, o material explora os rituais, as palavras de ordem, os cantos, as vestes sagradas e todo o acolhimento de um chamado ancestral.

Disponível em todas as plataformas digitais, “Agô” tem letra de Patrícia Polayne. No dia 6 de Setembro, será realizado um show de lançamento do disco no Auditório Ibirapuera, em São Paulo, às 21h.