Mark Knopfler, do Dire Straits
 

Mark Knopfler, sem dúvidas, um dos grandes gênios da guitarra em todos em tempos, completou na última segunda-feira, 12 de agosto, 70 anos de vida.

No Dire Straits criou riffs inesquecíveis e hits mundiais, que ao longo de quase duas décadas, do final dos anos 70 até meados dos anos 90, e seis discos de estúdio, alcançou marcas impressionantes, posicionando a banda como uma das mais importantes e clássicas do Rock and Roll.

Felizmente, Mark seguiu sua carreira musical após o fim do Dire Straits, e segue gravando ótimos discos em sua carreira solo, como foi o caso do recente Down The Road Wherever, que mostramos aqui.

A lista de trabalhos de Mark Knopfler é extensa. Entre discos solos e trilhas sonoras, já são mais de 20 lançamentos, isso sem contar as parcerias ou aparições em palcos de outros artistas, como Eric Clapton e Phill Collins, ou até mesmo comandando produções musicais de discos de estrelas, como Tina Turner e Bob Dylan.

A forma de tocar, cantar e escrever de Knopfler, seja fazendo rock, blues ou folk, já está cravada na história da música e para celebrar os 70 anos de vida, com os desejos de mais incontáveis anos pela frente, vamos listar 5 faixas do artista em sua carreira solo.

1 – “What It Is” (2000)

A faixa abre o disco Sailing To Philadelphia e traz a mistura perfeita e característica que Knopfler faz na junção do rock, country e folk, com a precisão cirúrgica dos dedilhados do violão e o solo de guitarra que dispensa apresentações.

 

2 – “Sailing To Philadelphia” (2000)

A música título do segundo disco traz em sua versão original uma parceria de Mark Knopfler com James Taylor.

Abaixo, uma versão do ao vivo “An Evening With Mark Knopfler”, gravado em Londres, em 2009.

3 – “Boom Like That” (2004)

A faixa foi o primeiro single do quarto disco, intitulado Shangri-La, e mais uma vez traz a sonoridade tradicional quando o guitarrista coloca os dois pés no seu modo único de fazer rock and roll clássico.

É ouvir as primeiras notas das guitarras e saber quem está tocando! Um dos pontos da carreira solo!

4 – “Beryl” (2015)

Faz parte de Tracker, oitavo disco da carreira solo.

É mais uma faixa que agrada em cheio aos fãs mais saudosos do inesquecível Dire Straits, pela sua levada, além dos backing vocals, que também lembram muito a ex-banda.

Tracker se destaca por uma levada mais tranquila, onde Mark abusa (sem errar) do seu violão e da sua viola caipira em belíssimas canções que ficam sempre com um pé no folk/country e no blues.

5 – “Good On You Son” (2018)

Em seu último disco, Down The Road Wherever, Mark se permitiu fazer algumas pequenas incursões em mais estilos do que o habitual e se saiu muito bem.

No mais, tudo que já conhecemos e mesmo assim, sempre nos surpreendemos continua lá em ótimas canções e arranjos, como no caso de “Good On You Son”.