Uma verdadeira celebração da vida e obra do Fleetwood Mac, o show Rumours of Fleetwood Mac passará por São Paulo (dia 15, Espaço das Américas), Rio (dia 16, Vivo Rio) e Belo Horizonte (17, Palácio das Artes) nesse mês. Unindo musical e show ao vivo, o projeto passa por todas as fases da banda e tem aprovação da própria banda através de uma mensagem introdutória de Mick Fleetwood.

Conversamos rapidamente com o diretor do projeto, o baterista Allan Cosgrove sobre os shows e como ele se apaixonou por Fleetwood Mac.

TMDQA: Como começou a ideia para esses shows, Allan?

Allan Cosgrove: Começou 20 anos atrás, sem muito planejamento. Fizemos a primeira performance para um evento de um amigo e foi algo especial, sabe? Na hora que saímos do palco pensamos: “e se fizéssemos uma turnê?”. E quando se tornou algo real, pensamos que precisamos ter uma aprovação, uma opinião do Mick Fleetwood. Seja para ser tipo uma honra ou para nos atirar para os leões (Risos). Foi uma honra ver o carinho dele e a emoção que ele sentiu. Foram muitas horas de ensaio para sermos fiéis às músicas e às memórias das pessoas. São 50 anos de banda, faz parte da vida das pessoas.

TMDQA: E como você virou fã?

Allan Cosgrove: Eu comecei a tocar bateria por causa deles! E olha que eu cresci em Liverpool durante os anos 60 e tinha uma certa bandinha local que fazia muito sucesso! (Risos) Mas quando surgiu o Fleetwood Mac, como uma banda de blues, algo mudou. Na primeira vez que os vi, foi paixão na hora. E me espantei muito com o Mick. Foi a primeira vez que pensei “eu quero fazer isso no futuro”. Acho que por isso tocar com ele foi algo tão especial para mim.

TMDQA: O show tem música ao vivo e também muita informação sobre a banda. Você acha que pode ser um primeiro passo para se tornar fã?

Allan Cosgrove: Sim, a gente toma bastante cuidado para respeitar o fã antigo e apresentar pro novo. Tem muito material visual e passamos por todas as fases da banda. Essa presença visual foi a grande coisa que evoluiu no show nesses vinte anos de estrada.

TMDQA: E o que os fãs brasileiros podem esperar?

Allan Cosgrove: Eu soube que o Fleetwood Mac nunca esteve aí, então é um privilégio nosso levar essas canções para um público novo. Eles podem esperar artistas dando tudo de si para honrar o amor, o carinho e as memórias que elas tem por essas músicas.

     
 
Compartilhar