Robert Plant
 
Ouça o novo single da Majur!

Quando planejamos algo, temos a esperança de crer que tudo vai acontecer como esperado. No entanto, por mais clichê que soe esta afirmação, imprevistos acontecem.

Muitas vezes nós mesmos já vestimos a carapuça do “furão”, deixando de comparecer a algum evento por motivos de diversas naturezas. Não diferente de nós são artistas e bandas, que às vezes são surpreendidos e se veem diante da infeliz decisão de cancelar algum show.

Isso pode acontecer desde pequenos shows de turnê até participações em festivais de grande porte. O Rock In Rio, por exemplo, já passou por isso diversas vezes, acarretando discussões sobre o assunto e, não raramente, revolta por parte dos fãs.

Em cerca de 34 anos de história e (até então) oito edições nacionais, o festival já precisou correr contra o tempo algumas vezes para resolver questões de cancelamentos. Separamos dez vezes em que isso aconteceu, em ordem de impacto tanto para o festival quanto para a base de fãs.

Vale lembrar que os cancelamentos no RIR não são exclusividade do Brasil. Nas edições internacionais do festival, Ariana Grande, Rihanna e Sam Smith foram alguns dos que precisaram cancelar suas apresentações.

 

10 – Megadeth (Rock In Rio 2019, substituído por Helloween)

A oitava edição do festival está se aproximando, e tem na retomada do “dia do metal” (após a ausência de um dia com atrações mais pesadas na edição de 2017) uma de suas melhores escalações. Se juntando aos grupos Iron Maiden, Scorpions e Sepultura, o Megadeth completava um quarteto de atrações empolgante para os fãs do gênero.

No entanto, nos surpreendemos com a notícia de que o vocalista Dave Mustaine precisaria tratar um recém-descoberto câncer de garganta. Isso fez com que a banda tivesse que cancelar sua apresentação. Após cerca de uma semana de especulações sobre quem substituiria o grupo, o festival anunciou a banda alemã Helloween.

Ficamos tristes, é claro, mas precisamos concordar que foi uma substituição à altura. E, enquanto isso, desejamos a melhor recuperação possível para Mustaine.

9 – Robert Plant (Rock In Rio 1991, substituído por Billy Idol)

Billy Idol e o ex-Led Zeppelin Robert Plant estavam ambos escalados para a segunda edição do Rock In Rio, que aconteceu no Maracanã em 1991. No entanto, Billy, que estava em sua primeira vez no Brasil, acabou tendo que se apresentar em dois dias.

Isso porque Robert Plant havia cancelado a sua apresentação na véspera. Na época, o cantor alegou estar com faringite, o que o impossibilitaria de cantar bem no show. A indicação mais imediata, diante da correria, foi Billy Idol, que subiu novamente ao palco para tocar no dia seguinte ao seu primeiro show.

Outra justificativa que começou a circular na época foi a de que Plant havia cancelado sua apresentação por medo de atentados terroristas. Aliás, para se apresentar, ele teria que viajar de avião durante o período da Guerra do Golfo.

8 – Van Halen (Rock In Rio 2013)

O hard rock da banda Van Halen nunca chegou a subir nos palcos do Rock In Rio, mas isso quase aconteceu na edição de 2013.

O caso ainda é misterioso, mas foi comentado pelo jornalista José Norberto Flesch na época. Em seu Twitter, ele afirmou que a banda havia fechado com o festival, mas cancelou pouco tempo depois.

Não sabemos até hoje em que ponto as negociações estavam influenciando na divisão dos dias. Considerando que trata-se de uma banda grande (que por sinal só veio uma vez ao Brasil, em 1983), o Van Halen provavelmente assumiria o posto de headliner de algum dia. Em 2013, dois outros grupos de hard rock assumiram tais posições: Bon Jovi e Iron Maiden.

7 – Snap! (Rock in Rio 1991)

Eles já haviam recebido o cachê de 25 mil dólares. Estava tudo certíssimo para o grupo de dance music Snap! se apresentar na edição do Maracanã. No entanto, o mais bizarro dos motivos impediu sua apresentação.

Não por culpa do grupo ou do festival, o equipamento não chegou a tempo no Brasil. Como tudo aconteceu de última hora, a organização do evento não conseguiu encontrar um substituto a tempo. O Rock In Rio seguiu com uma apresentação a menos.

Os 25 mil foram logo devolvidos.

6 – Jay-Z (Rock In Rio 2011, substituído por Maroon 5)

Foi aqui que começou a brincadeira sobre usar o nome da banda Maroon 5 como uma espécie de “tapa-buraco”. E tudo por conta de um cancelamento inesperado do rapper Jay-Z, faltando cerca de um mês para o evento.

Na aguardadíssima quarta edição do Rock In Rio, Jay-Z estava escalado para o mesmo dia das apresentações de Frejat, Skank, Maná e Coldplay. Apesar de o cantor ter alegado “problemas pessoais”, não ficou completamente clara a sua real motivação.

Maroon 5, que já era uma das apostas favoritas por parte do público do festival, fez um ótimo show. Talvez tenha até combinado mais com o line-up do dia, encabeçado pelos também ídolos do pop rock internacional Coldplay.

5 – Cardi B (Rock in Rio 2019, substituída por Ellie Goulding)

Por falar em “motivos pessoais”, Cardi B também não fará mais a sua estreia no festival na edição de 2019. No mais recente caso desta lista, a organização do festival usou suas redes sociais para comunicar aos fãs o triste cancelamento.

Como substituta, o festival anunciou Ellie Goulding, que, apesar de ter lançado seu último álbum há quatro anos, prepara atualmente um novo lançamento. Ela se une a Drake, Bebe Rexha e Alok no line-up de um dos dias desta edição mais voltados ao público pop.

Apesar de ser a primeira vez de Ellie no RIR, a cantora já veio anteriormente para cá, quando participou, em 2014, do Lollapalooza Brasil. Cardi, no entanto, nunca pisou antes em terras nacionais para um show. Vale também frisar que essa foi uma das substituições mais inusitadas já feitas pelo festival.

4 – Barão Vermelho (Rock in Rio 1991, substituído por Hanói-Hanói)

O Barão Vermelho fez um dos melhores shows da edição de 1985. Para a edição seguinte seria interessante reviver esse momento, mas, por decisão da própria banda, isso não aconteceu.

Seria a primeira vez do Barão em um festival grandioso com Frejat nos vocais. A apresentação aconteceria no mesmo dia em que Billy Idol substituiria Robert Plant. A banda, no entanto, se desentendeu com a organização do festival e alegou estar recebendo um tratamento ruim, se comparada às atrações internacionais do evento. A gota d’água foi o fato de que não poderiam passar som antes.

O festival encontrou um substituto na banda Hanói-Hanói, um outro expoente do rock carioca que tinha até então três álbuns lançados. Por sinal, o show foi um dos melhores momentos ao vivo da banda. O Barão voltaria ao Rock In Rio logo na próxima edição, em 2001.

3 – O Rappa, Cidade Negra, Raimundos, Skank, Charlie Brown Jr. e Jota Quest (Rock in Rio 2001)

O descaso às atrações nacionais também seria motivo de revolta e de cancelamentos na edição de 2001. Enquanto o Barão Vermelho topou voltar ao evento, seis bandas frutos da cena do rock brasileiro da década de 90 aderiram a um boicote.

Tudo começou com banda O Rappa, decepcionada com o fato de ser colocada como “abertura” para várias bandas gringas. Assim como o Barão em 1991, eles também não teriam direito à passagem de som. Dando suporte à causa da banda, os grupos Cidade Negra, Raimundos, Skank, Charlie Brown Jr. e Jota Quest também aderiram ao boicote, clamando por mais igualdade no tratamento dado às bandas.

No ano em questão, as atrações de rock nacionais ficaram por conta de grupos como Capital Inicial, Kid Abelha, Ultraje à Rigor, Sheik Tosado e Engenheiros do Hawaii. Das bandas que aderiram ao boicote, O Rappa e Charlie Brown Jr. foram as únicas que não chegaram a ter chances futuras de participar do evento.

2 – Def Leppard (Rock In Rio 1985, substituído por Whitesnake)

A divulgação da primeira edição do festival apresentava o nome Rock In Rio como “O maior festival de rock de todos os tempos”. Não à toa, estava trazendo ao país, de uma vez só, nomes como Ozzy Osbourne, Queen, AC/DC, Iron Maiden e muito mais.

Um dos grandes nomes do rock que viriam para cá em 1985 era o grupo Def Leppard. No entanto, um inesperado acidente entristeceu alguns fãs e desencadeou no cancelamento da banda.

Rick Allen, o baterista da banda, sofreu um acidente de carro na virada do ano de 84 para 85. O episódio lhe custou seu braço esquerdo e, como foi tudo aconteceu muito recentemente, a banda não viu outra escolha senão cancelar a apresentação.

No entanto, o lendário grupo veio para a edição de 2017, atendendo à demanda dos fãs que ficaram tristes com o triste cancelamento do RIR original. E, na ocasião, fizeram um show incrível!

1 – Lady Gaga (Rock In Rio 2017, substituída por Maroon 5)

“Brazil, I’m devastated”.

Lady Gaga, confirmada pela primeira vez no festival na edição de 2017, seria a headliner do primeiro dia. Na época, a cantora divulgava seu ótimo álbum Joanne, e se apresentaria no mesmo dia que Ivete Sangalo, 5 Seconds of Summer e Pet Shop Boys.

Uma notícia inesperada pegou todos de surpresa na véspera do evento, quando Gaga cancelou sua apresentação. A cantora teve o aconselhamento médico de cancelar todas as suas apresentações da época, por conta de fibromialgia. Ela lamentou o ocorrido nas redes sociais.

Naturalmente, os fãs ficaram tristes, e encheram o perfil da cantora de notificações:

De última hora, a organização do evento colocou a banda Maroon 5 para substituí-la. Assim como aconteceu com Billy Idol em 1991, a banda de Adam Levine tocou em dois dias seguidos no festival.