Tom Morello no Samsung Best of Blues 2018
Foto: Stephanie Hahne
 

Tom Morello não mediu palavras para falar sobre Donald Trump e Jair Bolsonaro em uma nova entrevista.

Conversando sobre política com a britânica NME (via Blabbermouth) no festival espanhol Mad Cool, em Madri, o guitarrista do Rage Against the Machine e Prophets of Rage comentou o efeito que suas bandas tiveram nas pessoas, politicamente falando.

Morello declarou:

Acho que são os sintomas das pessoas se sentindo deixadas para trás pela economia global, Donald Trump oferece uma [solução] fácil — e não só o Trump; eu acho que o Brexit também, e no Brasil eles têm um fascista populista de direita no poder. As pessoas que são deixadas para trás pelas políticas neoliberais — brancos e operários, geralmente — estão suscetíveis a demagogos que usam o racismo e o sentimento de anti-imigração para mexer com eles, para que não foquem no problema real, que é um sistema que não merece esse planeta.

Ele continua.

[Quem] domina e gerencia esse planeta não o merece, e eles estão o destruindo. Eles estão criando uma situação ambiental e econômica miserável para muitas pessoas. Agora, uma das razões pelas quais temos feito música há tanto tempo é para oferecer um conjunto alternativo de ideais — como política progressista, solidariedade, sanidade ambiental, antirracismo, antifascismo — como outra maneira de lidar com as desigualdades da vida, em vez de ouvir algum demagogo de rosto laranja dizendo que é tudo culpa dos muçulmanos, dos mexicanos. Confie em mim, não é. É culpa dele! [risos]

Confira a entrevista abaixo — a fala de Tom Morello sobre o Brasil está por volta do minuto 2:45.