Não é segredo para ninguém que o fã brasileiro de música tomou gosto pelos festivais e eles se espalharam por todo país.

As cinco regiões do Brasil são bem representadas por festivais de qualidade que mesclam artistas do underground, midstream e mainstream, e há tipos diferentes de experiências diferentes para quem procura artistas dos mais variados gêneros.

O que acontece, ainda, é que os line-ups dos eventos não são contemplados igualmente com atrações masculinas e femininas, longe de atingir a proporção de 50/50 para homens e mulheres nos palcos por aí.

Estudo Sobre as Mulheres nos Festivais Brasileiros

View this post on Instagram

Quantas mulheres tocaram nos principais festivais de música do Brasil? Segundo levantamento realizado pela Thabata Arruda, criadora do Ouça Música Independente, essa participação não passou de 20% nos últimos três anos. Para chegar nestes números, foram analisados lineups de 76 festivais de diferentes portes para identificar a tímida presença feminina em lugares de destaque dentro desses festivais. Ainda que boa parte carregue em sua comunicação o discurso da igualdade. Fica clara também a urgência de medidas e ações reais que empoderem mulheres a ocuparem mais os espaços criativos e também técnicos do mercado musical. – O levantamento completo foi publicado através da Revista Zumbido (Selo SESC). <link na bio> _ arte/gráficos: Thabata Arruda.

A post shared by Ouça Música Independente (@oucamusicaindependente) on

Quem fez um estudo a respeito foi Thabata Arruda, criadora do “Ouça Música Independente”, que publicou um artigo no Medium do Selo SESC mostrando os números de mulheres nos line-ups de eventos entre 2016 e 2018.

Com informações das mais diversas e gráficos que mostram bem o panorama dos últimos anos, é possível perceber quais eventos tiveram mais mulheres solistas, bandas mistas e grupos formados por homens.

É possível perceber, por exemplo, que os festivais com mais mulheres solistas em 2018 foram o Popload Festival (44%), Vento Festival (41%), MADA (38%), Rec Beat (38%) e Se Rasgum (35%).

Já os que tiveram menos participações de solistas mulheres foram o Abril Pro Rock (0%), Goiânia Noise (0%), Porão do Rock (2%), Cena Cerrado (6%) e Vaca Amarela (6%).

Festivais do Brasil

Diversidade de gêneros nos festivais brasileiros

Foram analisados 76 festivais brasileiros e segundo a própria publicação, “os 1972 artistas foram divididos em três categorias: mulheres solistas ou bandas compostas somente por mulheres; homens solistas ou bandas compostas somente por homens; e bandas mistas (onde existia pelo menos uma mulher na formação). Com estes dados foram calculadas as porcentagens de participação feminina por festival, categoria e ano.”

Você pode ler o artigo na íntegra clicando aqui.

Festivais Estrangeiros

Vale lembrar que em 2018 a Pitchfork também fez um estudo parecido e mostrou que a porcentagem de artistas mulheres nos festivais norte-americanos ainda é tímida.

Além disso, foi só em 2017 que uma mulher teve papel de destaque no line-up do Coachella, com Lady Gaga sendo uma das headliners do famigerado festival.

   
 
Compartilhar