Fito Paez
Foto: Fito Paez / Divulgação

Mesmo nós brasileiros sendo, como diria Belchior, apenas rapazes (e moças) latino-americanos, muitas vezes não reconhecemos essa afinidade que temos com os nossos países vizinhos e por algum motivo acaba sendo bem mais comum nos identificarmos com outras culturas ocidentais do que com aquelas que estão mais próximas geograficamente.

Mas aproveitando esse clima de Copa América que estamos vivendo em nosso país, o episódio #43 do Podcast TMDQA! contou com a participação de Felipe Gonzalez, fundador da Difusa Fronteira e manager da banda Francisco, el Hombre para nos falar um pouco sobre a sua vasta experiência sobre bandas e artistas latino-americanos.

Esse episódio você pode conferir clicando no player logo abaixo, ou procurar por nós no Spotify, Apple Podcasts ou seu agregador preferido. Siga-nos também no Instagram ou Facebook.

Mas para dar uma ideia do que você encontrará no podcast, separamos aqui 15 artistas da América Latina que você deveria conhecer para entender o quão rica e diversa é a música desses países.

1Los Mesoneros (Venezuela)

A banda de rock da capital Caracas é uma das mais prestigiadas do país, com ótima aceitação de público e também de crítica, tendo inclusive já sido indicada para 4 nominações do Grammy Latino.

Infelizmente, pelas diversas crises internas que a Venezuela vem passando nos últimos anos, a banda se mudou para o México, destino muito comum de artistas latinos que buscam novos horizontes.

2Devendra Banhart (Venezuela)

Um dos artistas latinos de maior prestígio no mundo todo, Devendra Banhart é nascido no Texas, mas foi criado por sua mãe na Venezuela e carrega muito dessa sua ascendência em seu folk psicodélico.

Com uma influência declarada também pela música brasileira, Devendra já gravou com artistas como Rodrigo Amarante e Marisa Monte, além de participar de shows de Caetano Veloso e d’Os Mutantes.

3Cumbia All Stars (Peru)

Através da reunião dos grandes mestres da cumbia clássica do Peru, o Cumbia All Stars é um grupo criado em 2012 para divulgar e enaltecer a sonoridade autêntica desse estilo, que é definitivamente um dos mais populares e característicos do país.

Com guitarras virtuosas e a marcante percussão, o projeto reúne músicos com mais de 40 anos de carreira e história na música peruana.

4Los Kjarkas (Bolívia)

Se existe uma forma de conhecer a cultura de um país através de sua música, essa é a música dos Los Kjarkas e esse país é a Bolívia.

Formada em 1965 e ainda em atividade, a banda é considerada a mais conhecida dentro da música andina, a sonoridade que marca a mistura entre a influência indígena e latina que existe no país.

É deles a composição de “Llorando se Fue”, canção que foi traduzida (sem a autorização da banda) pelo grupo franco-brasileiro Kaoma na famosa lambada “Chorando se Foi”.

5Maluma (Colômbia)

Provavelmente o nome de maior destaque popular de toda América Latina recentemente, o reggaeton de Maluma é um sucesso no mundo todo.

O cantor é um verdadeiro hitmaker e segue com seu nome constantemente presente entre as canções mais tocadas de todo continente.

6Aterciopelados (Colômbia)

Mostrando a universalidade de ritmos existentes na América Latina, os Aterciopelados é uma banda de rock alternativo criada nos anos 90 com influências que vão da new wave até o folclore colombiano.

A banda é reconhecida pelas Nações Unidas pelo trabalho de denúncia à violência, tema muito presente em suas letras sempre críticas, contendo também canções sobre os direitos das mulheres e a preservação do meio ambiente.

7Fito Paez (Argentina)

Autor do disco mais vendido do rock argentino, Fito Paez é um dos maiores expoentes da música de seu país.

Além de ser também cineasta e roteirista, Paez é dono de uma discografia riquíssima e coleciona diversas parcerias maravilhosas com artistas de toda América Latina, incluindo no Brasil com Titãs, Pato Fu e Paulinho Moska.

8Pescado Rabioso (Argentina)

Liderado por Luis Alberto Spinetta, um dos maiores nomes do rock na América Latina, a banda de blues-rock teve uma carreira curta, mas meteórica, causando uma revolução na música argentina.

O clássico álbum Artaud (de 1973) é uma obra-prima para fã nenhum de Led Zeppelin botar defeito.

9Charly García (Argentina)

Outro nome de dimensão gigantesca na Argentina é Charly García. Seu nível de representação seria algo como o que Raul Seixas é em nosso país, apesar das sonoridades dos dois serem bem diferentes.

Membro fundador de bandas clássicas do rock argentino, como Sui Generis e Serú Girán, Charly também conta com uma carreira solo aclamadíssima no seu país.

10Villagran Bolaños (Paraguai)

Com nome em homenagem à Roberto Bolaños (o eterno Chávez), a banda de Asunción é um dos nomes mais interessantes da atual música paraguaia.

De estilo definido pelos próprios membros como ritmo subtropical, a Villagran conta com uma intensa mistura de gêneros encabeçada por um bom rock and roll.

11Jorge Drexler (Uruguai)

Reconhecido por criar melodias baseadas em seu violão, mas extrapolá-las em suas produções ambiciosas, Jorge Drexler é um dos mais interessantes da recente música do Uruguai, construindo um pop experimental muito bem trabalhado em todos os álbuns de sua discografia.

12Cuatro Pesos de Propina (Uruguai)

Em plena atividade com seu rock mestizo, a banda de Montevidéu vem construindo uma carreira muito interessante desde seu álbum de estreia, Se Está Complicando, de 2007.

Uma ótima dica para os fãs de Francisco, el Hombre!

13Mon Laferte (Chile)

Outra artista erradicada no México, a chilena Mon Laferte é uma cantora e compositora que vem ganhando atenção no mundo todo.

Com uma sonoridade que viaja entre o pop alternativo e o indie rock, Laferte já conta com uma discografia consolidada, com destaques para os álbuns Mon Laferte Vol. 1 (2015) e La Trenza (2017).

14Violeta Parra (Chile)

Considerada a fundadora da música popular chilena, Violeta Parra foi, além de compositora e cantora, uma importante ativista na luta pelo povo oprimido no Chile na época da devastadora ditadura que ocorreu no país.

Falecida em 1967 com apenas 49 anos, Violeta é autora de clássicos da música latina como “Volver a los 17” e “Gracias a la Vida”, canções múltiplas vezes gravadas por vários artistas de nosso continente.

15Ricardo Pita (Equador)

Para finalizar a lista, o nosso representante do Equador é Ricardo Pita.

Dono de uma musicalidade sofisticada, acústica e quase intimista, Ricardo nos presenteia com canções cheias de beleza e de mensagens reflexivas.