Parece que os pais do Metal não são muito ligados ao gênero hoje em dia. Pelo menos é isso que afirmam Tony Iommi e Geezer Butler, do Black Sabbath.

Em uma entrevista durante a estreia de uma exibição sobre a banda em Birmingham, sua cidade natal, os músicos foram questionados sobre sua relação com o ritmo atualmente.

Butler mandou na lata:

Eu não [ouço], particularmente. The Beatles, The [Rolling] Stones e The Kinks, esse é meu tipo de música.

Já Iommi foi um pouco mais “simpático”, dizendo: “Eu tenho a tendência de ouvir mais as coisas antigas. Mais os clássicos do que as bandas novas porque eu me relaciono melhor com o material do passado.”

Influência do Black Sabbath

Apesar disso, Geezer se mostrou honrado por ser influência para tantas bandas do estilo.

É absolutamente incrível, porque fomos criticados pela mídia por tanto tempo, e realmente não nos importávamos porque estávamos esgotando shows e tudo mais na América. E só quando uma banda como o Anthrax tocou ‘Sabbath Bloody Sabbath’ e o Metallica nos citou como influência, que falamos, ‘estamos sendo louvados?!’

50 anos de carreira

A exibição que contou com a presença da dupla em sua estreia conta a história dos 50 anos do Sabbath.

No Birmingham Museum & Art Gallery estão expostos itens pessoais dos membros, incluindo um crucifixo de Ozzy Osbourne, partes do estúdio caseiro de Iommi e roupas usadas pelo grupo em shows. Mais de 3 mil fotos de fãs ao redor do mundo também estão por lá.

A exposição vai até o dia 29 de Setembro.

LEIA TAMBÉM: Ozzy Osbourne quer reunir Black Sabbath original para último show