The White Stripes - The White Stripes
 

15 de Junho de 1999: há exatamente vinte anos, a dupla The White Stripes lançou seu disco de estreia, homônimo.

É difícil falar da banda sem pensar nos inúmeros hits que vieram depois, principalmente com “Seven Nation Army”, que passou a aparecer em ocasiões que vão desde formaturas até aberturas de jogos de campeonatos de futebol organizados pela FIFA.

Ainda assim, The White Stripes, o disco, é um marco na história da banda e do Rock And Roll.

The White Stripes

Jack White, guitarrista, vocalista e principal compositor da banda, era um músico de Detroit que já tinha mostrado suas armas em projetos anteriores, tanto bandas próprias como o The Upholsterers quanto em projetos como o Goober & The Peas, onde era baterista.

Quando resolveu compilar tudo aquilo que vinha compondo, porém, não apenas criou a dupla The White Stripes como também um conceito: desde o início a ideia era trabalhar com o branco e o vermelho, o formato de guitarrista/vocalista + baterista não era muito comum e todo um mistério foi criado propositalmente a respeito da responsável pelas baquetas, Meg White.

Ao se apresentarem como irmãos mas na verdade formarem um casal romântico, Jack e Meg mantiveram a aura misteriosa em torno da banda por muito tempo, e isso ajudou bastante a complementar as cores de sua identidade visual, as guitarras afiadas e as grandes letras entoadas pelo líder do grupo.

Blues, Rock, Garagem

The White Stripes não tem grandes hits mas é um álbum que mesmo com 17 faixas soa conciso e mostra não apenas as influências mas também a capacidade e o potencial da banda.

Fazendo referências claras ao Blues Rock e ao Garage Rock, a dupla apresentou canções autorais como “The Big Three Killed My Baby”e “Suzy Lee” mas também fez questão de homenagear suas referências, como nas covers de “Stop Breaking Down” (Robert Johnson), “One More Cup Of Coffee” (Bob Dylan) e “St. James Infirmary Blues”, que tem sua origem incerta mas foi eternizada por Louis Armstrong.

A importância do primeiro disco do White Stripes se dá principalmente porque a banda não emplacaria grandes hits até 2001, quando apresentou “Fell In Love With A Girl” ao mundo em White Blood Cells, mas para chegar até lá, foi usando seus álbuns como válvula de escape para a criatividade de Jack White e o ritmo certeiro de Meg White, o que jogou muito a favor da dupla.

Criando as bases para a sua sonoridade em 1999 e em 2000 com o álbum De Stijl, quando o sucesso veio pela primeira vez a banda soube jogar com ele e alavancar uma carreira que deixava o círculo underground do Blues, do Rock de Garagem e do Rock Alternativo para tomar os grandes palcos do mundo, e tudo isso preparou Jack White para chegar até 2003, quando ele lançaria pérolas como “Seven Nation Army”, “The Hardest Button To Button” e a cover maravilhosa de “I Just Don’t Know What To Do With Myself” em Elephant, álbum que, inclusive, soa bem menos encorpado que a estreia de anos antes.

O White Stripes fez história com seu formato, seus hits, seus riffs, suas cores e um movimento que criou entre os indies dos Anos 2000. Tudo começou há 20 anos e foi com o pé direito.