Bryan Singer (Bohemian Rhapsody)
Foto: Wikimedia Commons
 

Bryan Singer entrou em um acordo na justiça após diversas denúncias de abuso sexual e pedofilia.

O diretor original de Bohemian Rhapsody (2018) concordou em pagar mais de 570 mil reais para “resolver” sua situação. O acordo envolve uma das vítimas, Cesar Sanchez-Guzman.

Como te contamos por aqui, Singer foi processado por estuprar um rapaz de 17 anos durante uma festa em 2003, o que ele negou. Além desta acusação, o diretor ainda tem mais duas, uma de 1997 e outra de 2014.

Andrew Brettler, advogado de Bryan Singer, soltou o seguinte comunicado (via CoS):

O devedor apresentou uma denúncia contra o Sr. Singer que ele não tinha base ou direito legal de arquivar. Singer negou até mesmo conhecer esse indivíduo, quanto mais alegadamente ter interagido com ele há mais de 15 anos. A decisão de resolver o assunto com o homem foi puramente comercial, já que os custos do litígio excederiam em muito o valor solicitado por ele para quitar os credores que recebiam dinheiro quando o devedor pediu falência.

Ainda de acordo com o comunicado, do valor total, 238 mil reais serão direcionados para pagar a faculdade de Sanchez-Guzman. Caso vá para frente, o valor pago por Singer anula o processo.