Rafel Bittencourt faz desabafo sobre o Angra
Foto: Reprodução / Instagram
 

A morte precoce de Andre Matos mexeu bastante com a gente nos últimos dias.

O músico de 47 anos, músico das influentes bandas brasileiras Viper, Angra e Shaman, nos deixou cedo demais e pegou todo mundo de surpresa, já que vinha na ativa e há poucos dias tinha se apresentado em São Paulo, inclusive.

Co-fundador do Angra, ele deixou a banda em 2000, há quase 20 anos, após uma série de desentendimentos, e não é segredo que o grupo brasileiro de Heavy Metal tem uma carreira com idas e vindas de integrantes.

Eu sua conta oficial no Instagram, o guitarrista Rafael Bittencourt fez um duro desabafo onde fala sobre a banda, seus fãs, a cultura em geral e o Heavy Metal, deixando bem claro que a morte do ex-colega mexeu com ele:

A música toca as pessoas maneira íntima. E os laços que resultam de uma afinidade musical é mais profundo do que as pessoas se dão conta.
‘A música deve unir e não afastar as pessoas.’ Uma frase emprestada do Milton Nascimento mas que tem sido minha guia há muitos anos.
Sabemos que nossas emoções e outros fluxos egóicos interferem na prática desta teoria, mas com a dor a lição.
Seguimos todos mais fortalecidos e mais unidos.
Porque agora até o mais imbecil dos fãs percebeu de maneira dura e trágica que somos a porra de uma família.
Não se trata de cantar de mãos dadas e nos chamarmos de lobinhos.
Se trata de enxergarmos que somos uma matilha de loucos apaixonados por um estilo musical que mexe com os alicerces do que somos. Nos conecta. Nos expõe.
Já é hora de mostrarmos aos mais jovens e virgens da vida que a carcaça de coragem é uma das brincadeiras ingênuas que compactuamos.
Somos frágeis e precisamos um do outro para sobrevivermos.
Assim como o futebol brasileiro não é admirado internacionalmente pelas richas [sic] de torcidas e sim, por sua qualidade e beleza.
Que os profissionais do metal saibam que as richas [sic] pertencem às multidões apaixonadas imaturas e ainda em formação.
Temos a responsabilidade na área da cultura e da educação de sermos modelos e guiarmos ao crescimento mental e espiritual que a música proporciona.
Para que essa música que fazemos com tanta seriedade não vire apenas um pano de fundo dos melindres e frustrações particulares do público e/ou de profissionais que não enxergam esse propósito maior.
Estou bem machucado, mas sei que não estou sozinho nesta dor. Sei que agora o futuro a nossa frente já será bem diferente.
#angra #andrematos

LEIA TAMBÉM: causa da morte de Andre Matos foi uma parada cardíaca

Rafael Bittencourt toca “Carry On” com os fãs

View this post on Instagram

A música toca as pessoas maneira íntima. E os laços que resultam de uma afinidade musical é mais profundo do que as pessoas se dão conta. "A música deve unir e não afastar as pessoas." Uma frase emprestada do Milton Nascimento mas que tem sido minha guia há muitos anos. Sabemos que nossas emoções e outros fluxos egóicos interferem na prática desta teoria, mas com a dor a lição. Seguimos todos mais fortalecidos e mais unidos. Porque agora até o mais imbecil dos fãs percebeu de maneira dura e trágica que somos a porra de uma família. Não se trata de cantar de mãos dadas e nos chamarmos de lobinhos. Se trata de enxergarmos que somos uma matilha de loucos apaixonados por um estilo musical que mexe com os alicerces do que somos. Nos conecta. Nos expõe. Já é hora de mostrarmos aos mais jovens e virgens da vida que a carcaça de coragem é uma das brincadeiras ingênuas que compactuamos. Somos frágeis e precisamos um do outro para sobrevivermos. Assim como o futebol brasileiro não é admirado internacionalmente pelas richas de torcidas e sim, por sua qualidade e beleza. Que os profissionais do metal saibam que as richas pertencem às multidões apaixonadas imaturas e ainda em formação. Temos a responsabilidade na área da cultura e da educação de sermos modelos e guiarmos ao crescimento mental e espiritual que a música proporciona. Para que essa música que fazemos com tanta seriedade não vire apenas um pano de fundo dos melindres e frustrações particulares do público e/ou de profissionais que não enxergam esse propósito maior. Estou bem machucado, mas sei que não estou sozinho nesta dor. Sei que agora o futuro a nossa frente já será bem diferente. #angra #andrematos

A post shared by Rafael Bittencourt (@rbittencourton) on

Vale lembrar que no último Sábado (08), após a notícia da morte de Andre, o Angra cancelou um show que faria em São Paulo mas manteve a data, convocando fãs para que fossem até o local como uma forma de homenagear o músico.

Rafael Bittencourt tocou o hit “Carry On” com os fãs, como você viu por aqui.