DJ Memê, Fernanda Abreu e Toni Garrido
Foto: Marcos Hermes
 

O tempo é algo fascinante! Pessoas envelhecem, os hábitos mudam, mas algumas obras musicais, por exemplo, ficam para a história. Entre essa seleta lista de canções que sobreviveram ao teste do tempo está “Tempos Modernos“.

Composta por Lulu Santos e lançada em 1982, a canção é até hoje tocada em todo tipo de festa ou de celebração. Isso talvez pelo fato de contar com versos capazes de dialogar com qualquer geração. Aliás, almejar dias melhores e reconhecer que o tempo passa rápido sempre foi um consenso social.

A épica canção ganhou foi regravada diversas vezes. Entre os que deram nova roupagem à composição estão Jota Quest, Marisa Monte, Os Paralamas do Sucesso, Claudinho & Buchecha e até o trio eletrônico Make U Sweat. Na última sexta (07), foi a vez de “Tempos Modernos” ganhar uma versão nas vozes de Fernanda Abreu e Toni Garrido.

 

A celebração da atual geração 50+

Trata-se de um projeto da agência Musickeria que propõe dar valor à geração de titãs da música brasileira que, recentemente, passou dos 50 anos de idade. Aliás, o desafio e os prazeres de se conviver com a roda do tempo precisam ser compartilhados!

Essa geração protagonizou mudanças de comportamento e quebras de paradigma na nossa música, e isso fica bem claro através da carreira de sucessos de Fernanda e Toni.

Os arranjos da cover foram produzidos por DJ Memê. Foi tudo pensado para voz da dupla, que recebeu tratamentos eletrônicos para se adequar à “nova era”. “Eu sabia que eles iam topar de cara e que iam arrasar nos vocais”, comenta Memê, orgulhoso, ao comemorar sua intimidade com Fernanda e com Toni.

 

Muita lenha para queimar ainda

Se satisfazer (mesmo que com muitas conquistas alcançadas) não faz parte do plano de vida dessa geração. E Toni deixa isso claro. O objetivo é viver a vida da melhor forma possível.

Sou super tranquilo com a questão da idade. Hoje, com 51 anos, tenho tanto desejo de viver quanto tinha com 30 e poucos. E com um benefício: menos ansiedade e cobranças da minha parte.

Mais do que uma celebração de uma geração de artistas, a cover representa o anseio e a inquietude de quem ainda tem muito a contribuir com a nossa música. Fernanda, que conversou conosco recentemente, reiterou isso:

A ideia que a gente vive quando é jovem e depois senta e espera a velhice chegar é muito louca. A gente tem energia, vitalidade, trabalha todo dia. Prontos para viver tudo que há para viver.

Confira abaixo a cover: