Roger Waters e David Draiman (Disturbed)
Fotos: Aline Krupkoski | Wikimedia Commons

David Draiman, frontman do Disturbed, tem duras palavras para Roger Waters.

Ao falar sobre o show de sua banda em Israel, que acontece em Julho, o vocalista — que tem ascendência judia — comentou sobre o frequente boicote de vários artistas ao país por conta dos conflitos com a Palestina.

Em entrevista com a página Bring Disturbed to Israel (em português, Traga o Disturbed a Israel), Draiman se direcionou a Waters, que tem sido uma espécie de “líder” para o movimento de boicote, falando para que ele “e seus outros colegas nazistas” estão praticando ódio contra a cultura israelense.

Para elaborar um pouco sobre isso, além de apenas demonstrar minha posição agressiva contra isto — o raciocínio de que não importa de que lado da cerca você está politicamente… E olha, eu não acho que alguém em qualquer país sempre concorda com tudo o que seu país faz. Eu não concordo, mas sou um defensor muito forte de Israel para sempre e pelo nosso povo. E independentemente de ser Israel ou qualquer outro lugar, boicotar toda uma sociedade e todo um povo baseado nas ações de seu governo é absolutamente ridículo. E isso não chega a lugar algum. Eu não vejo ninguém fazendo boicotes à Rússia, eu não vejo boicotes a países que têm alguns dos regimes mais opressores e fechados na face da Terra. Regimes que perseguem a comunidade LGBTQ e tantas outras minorias. Eu não vejo ninguém boicotando a China pelo que eles estão fazendo com sua população muçulmana. É só Israel que recebe esse tratamento e eu acho que todos sabemos os motivos pelos quais isso acontece. Há um tipo especial de ódio pelos judeus nesse mundo e infelizmente não podemos explicar o porquê.

Você não consegue fazer nada em termos de tentar criar paz, em termos de tentar criar um entendimento fechando as coisas. Tem que haver estradas abertas de comunicação. Você constrói pontes, você não as derruba. E música e entretenimento são a maneira perfeita de superar esse buraco. E a própria noção de que Waters e seus outros colegas nazistas decidem que este é o caminho a seguir e promover a mudança é absoluta loucura e idiotice — absoluta.

Assista ao vídeo abaixo.

Roger Waters, Nicolás Maduro e Jair Bolsonaro

O ex-Pink Floyd também tem sido alvo de polêmicas por conta de seu apoio público a Nicolás Maduro, atual presidente da Venezuela. Saiba mais aqui.

A passagem do músico pelo Brasil em Outubro de 2018 também deu o que falar, já que Waters criticou abertamente o atual presidente Jair Bolsonaro.