Bob Iger, CEO da Disney, por Josh Hallet
Foto via Josh Hallet/Flickr
 

A Walt Disney é mais uma empresa do entretenimento a se posicionar na polêmica da lei antiaborto no estado da Georgia.

O CEO Bob Iger, em conversa com a Reuters (via Variety), falou sobre o movimento de produtoras de cinema que estão ameaçando deixar de fazer produções no local caso a lei seja aprovada.

Quanto questionado se a Disney continuaria trabalhando na Georgia, ele disse:

Eu realmente duvido que ficaríamos. Eu acho que muitas pessoas que trabalham para nós não vão querer trabalhar por lá, e temos que entender suas vontades nesse assunto. Neste momento, estamos lidando com muito cuidado.

Filmes como Pantera Negra (2018) e outras séries da Marvel, que faz parte da Disney, foram e ainda estão sendo filmados no estado.

Netflix

A primeira grande empresa a anunciar seu posicionamento contra a lei foi a Netflix, que divulgou, também, que deve deixar a Georgia caso a promessa se concretize.

Assinada pelo governador Brian Kemp, a lei planeja banir abortos posteriores às seis semanas de gravidez, período no qual muitas mulheres ainda não descobriram que estão grávidas.

LEIA TAMBÉM: Disney corta cena considerada racista da animação “Dumbo”; entenda

   
 
Compartilhar