Bring Me The Horizon no Lollapalooza Brasil
Foto por Stephanie Hahne
 

Uma das bandas mais comentadas da atualidade, o quinteto britânico Bring Me the Horizon tem inspirado muita gente com seu som eclético, que engloba metalcore, música eletrônica, hip hop e rock alternativo.

Recentemente, Lee Malia, guitarrista da banda que tem influências ainda de música clássica e pop, tirou um tempo para falar sobre o que o levou a tocar guitarra e a compor seus próprios riffs.

Malia contou que seu interesse na música começou por causa de seu pai, que tocava um pouco de guitarra e curtia muito rock clássico: “Para qualquer lugar que ele dirigia, ele carregava discos de bandas como Eagles, Dire Straits e Metallica”. Sobre essa última, Malia destacou a importância em sua vida:

Eu lembro que meu pai pegou o S&M, do Metallica, e foi o primeiro disco apropriado que eu ouvi e me despertou. Eu não sei, eu tinha acabado de chegar a uma idade em que eu gostava de música. Eu estava muito interessado e fiquei obcecado com o Metallica. Eu costumava comprar livros de música, sentar com um álbum e aprender cada riff dele.

Bring Me The Horizon e Metallica

Malia ainda contou que “Enter Sandman” foi o primeiro riff que tirou, mas que o momento mais marcante foi quando aprendeu “Master of Puppets”: “Eu lembro de tocar aquilo e pensar que era a melhor coisa do mundo”.

Ele também disse que aprender com Metallica foi ótimo, pois eles têm músicas que servem para que iniciantes possam tocar até chegar em faixas mais complexas, de acordo com seu progresso.

Bring Me The Horizon no Brasil

Recentemente, a banda liderada pelo carismático vocalista Oliver Sykes trouxe ao Brasil a turnê do disco amo (lançado em Janeiro) e causou euforia nos fãs.

A banda levou o público à loucura no Lollapalooza e também entregou um show histórico em uma das Lolla Parties, em São Paulo.