Bobby Gillespie (Primal Scream)
Foto: Wikimedia Commons

Bobby Gillespie é mais a se unir ao coro da infame afirmação: o rock morreu.

O frontman do Primal Scream fez a constatação em entrevista com o The Daily Telegraph (via NME), onde comparou o gênero ao latim.

Leia:

O rock é como o latim, é uma língua moribunda, velha, está acabada e realmente não tem mais nada a dizer. Caras em bandas de rock se vestem como se quisessem consertar seus eletrônicos.

Ele também comparou o rock com o rap falando sobre o quesito inovação e relevância.

É como se eles estivessem falando uma língua oculta e é assim que deveria ser. Tem ironia, inteligência, criatividade, sexo e perigo. Você tem rappers tomando ácido e ficando loucos no palco, magros, cobertos de tatuagens, cabelo colorido maluco, roupas de grife, alguns deles usam vestidos… Não há mais um símbolo sexual no rock branco, porque não há sexo nele. É muito solipsista, introspectivo, é tudo eu, eu e eu. O rock está morto.

Apesar de tudo, Gillespie declarou que ainda ama o rock, e que será um “roqueiro até morrer”.

Concorda com ele?