Cilindro Fonográfico
Foto: Wikimedia Commons
 

Muito antes da invenção dos discos de vinil, Thomas Edison desenvolvia o primeiro método de armazenamento de áudio que viria a ser usado com fins comerciais: o fonógrafo. Este era baseado em cilindros e foi o meio principal de gravação entre 1877 (quando surgiu) e 1894 (quando começou a ter a concorrência do gramofone). No entanto, em 1929 a produção dos cilindros fonográficos foi suspensa (salvo algumas empresas saudosistas que ainda os produzem como relíquias).

A Universidade da Califórnia em Santa Barbara (UCSB) teve uma iniciativa incrível e reuniu mais de 10 mil gravações realizadas em cilindros em uma biblioteca online compreensível, de fácil acesso e que inclusive permite o download dos arquivos. Entre essas 10 mil, temos não apenas músicas como também discursos, monólogos e leituras. A curadoria da universidade desenvolveu até mesmo algumas playlists temáticas com explicações detalhadas de suas origens!

Além de tudo isso, o site possui excertos históricos e fichas técnicas bastante completas (incluindo o modelo dos cilindros usados na gravação). As gravações encontradas nele podem ser muito úteis para aqueles que procuram usar samples e a diversidade de conteúdo do site é invejável. Encorajamos os leitores a desbravar essa biblioteca, mas separamos algumas das playlists mais interessantes nos links a seguir:

Cilindros com músicas típicas do México antigo (1904-1911)

Gravações de áreas externas do Taiti que soam como celebrações típicas (1923)

Canções populares da Primeira Guerra Mundial (1915-1918)

Artistas e compositores pioneiros da música negra (1902-1921)

Discursos históricos de personalidades como Theodore Roosevelt e Thomas Edison (1906-1919)

Cilindro fonográfico

Caso você tenha ficado curioso quanto ao funcionamento do cilindro fonográfico, o vídeo a seguir (em inglês, com legendas automáticas em português), do próprio Edison Tech Center, explica em detalhes o processo de gravação deste meio.

       
 
Compartilhar