Yhago Sebaz
Foto: Divulgação
 

Relacionamentos abusivos podem surgir em qualquer relação: parental, de amizade, romântica e independente de orientação sexual. É isso que Yhago Sebaz mostra em “Você Bagunçou Comigo”, clipe que exibe esse comportamento problemático na relação entre dois homens gays.

Combinando pop alternativo com trap e sofrência, o artista maranhense usou sua experiência pessoal como inspiração. “Ela representava um momento de algo muito forte que eu vivi e hoje quando eu escuto eu consigo entender muito sobre as pessoas que se permitiram viver relacionamentos abusivos e desgastantes”, explica.

A canção faz parte do EP Meio Amargo, novo trabalho de Yhago Sebaz que tem a intenção de aproximar as decepções amorosas e reflexões existenciais das letras com uma sonoridade pop afrofuturista.

Siamese

Lançamentos nacionais: Yhago Sebaz, Siamese, Sara Não tem Nome
Foto: Reprodução / Youtube

Siamese utiliza a fotografia e simbolismo para narrar como a violência marca nosso corpo mesmo após a superação no clipe de “Moleque”.

O clipe produzido em Curitiba mostra o artista ocupando seus locais da vivência, como a Universidade Federal do Paraná e também as ruas da cidade, dentro de sua persona fashion queer gerando o enfrentamento diário com a população da cidade.

A canção encerra os trabalhos do EP Som do Grave, lançado em 2017, e inicia uma nova era. O segundo EP de Siamese deve sair ainda neste primeiro semestre de 2019.

Sara Não Tem Nome

Lançamentos nacionais: Yhago Sebaz, Siamese, Sara Não tem Nome
Foto: Divulgação

Em mais uma empreitada do projeto VIDEOCLIPERS, Sara Não Tem Nome lança o clipe da canção “Dias Difíceis”.

O casal de filmmakers Couple Of Things e a artista mineira contam a história de uma jovem que, enquanto canta as angústias e incertezas de uma vida que não anda muito bem, é surpreendida numa lavanderia por alguém que acha que ela está reclamando demais.

Os diretores explicam que a faixa fala de algo sério mas ao mesmo tempo é despretensiosa, simples e leve, e isso justificou as escolhas criativas da obra. “A gente sentiu que havia algo de non-sense nisso tudo e, por isso, achamos que uma história neste caminho daria um bom casamento”, finalizam.