Freddie Mercury no Live Aid
Reprodução / YouTube
 

Em 13 de Julho de 1985, um dos maiores eventos da história da humanidade aconteceu na forma do Live Aid.

Organizado por Bob Geldof e Midge Ure, o festival aconteceu simultaneamente em Londres e na Filadélfia, e reuniu nomes como Queen, Sting, Phil Collins, U2, Dire Straits, David Bowie, The Who, Elton John, Paul McCartney e mais.

Com 100 mil pessoas nos EUA, 72 mil na Inglaterra e uma transmissão ao vivo cuja audiência estima-se em 1.9 bilhões de espectadores em 150 países, o evento chamou a atenção do mundo para a fome em países africanos, arrecadando dinheiro para iniciativas que prometiam atacar esses problemas.

Queen

O impacto do Live Aid voltou a ser sentido mais de três décadas depois por conta do filme sobre o Queen, Bohemian Rhapsody, que relembrou a performance épica da banda liderada pelo vocalista Freddie Mercury.

No evento que inspirou o Dia Mundial do Rock (por isso ele é celebrado em 13 de Julho), a banda britânica mandou ver em clássicos como “Bohemian Rhapsody”, “Radio Ga Ga”, “We Will Rock You” e “We Are The Champions”, e entrou para a história com uma das performances ao vivo mais comentadas de todos os tempos.

Brian May

Quem voltou a falar sobre o Live Aid foi o guitarrista do Queen, Brian May, que em conversa sobre o Daily Mirror, disse que gostaria que uma nova edição acontecesse, principalmente para falar das mudanças climáticas:

Um evento como esse provavelmente faria com que as novas gerações agarrassem o touro pelos chifres e liderassem as iniciativas. Nós ajudaríamos como pudéssemos, mas acho que é isso que seria necessário.

May ainda falou sobre como um evento desses é difícil de ser organizado e, mesmo chamando a atenção do mundo todo, muitas vezes não consegue atingir seus objetivos de forma satisfatória.

Live 8

Vale lembrar que entre 02 e 06 de 2005, quando o Live Aid completava 20 anos, Bob Geldof e Midge Urie voltaram a produzir um evento parecido na forma do Live 8.

A ideia era novamente trazer a atenção para a causa da fome no mundo e os shows aconteceram no período de um encontro do G8, grupo formado pelos países mais poderosos do planeta.

Com performances em locais de países do bloco, como Alemanha, Reino Unido e Canadá, bandas e artistas de peso se apresentaram, como U2 e Paul McCartney, juntos, tocando “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band”, Chris Martin, Deep Purple, Green Day e mais.

Na ocasião, Geldof fez questão de deixar claro que o Live 8 não se tratava de um “Live Aid 2”.

     
 
Compartilhar