Tupi Machine
Foto: Divulgação
 

Projeto encabeçado pelo músico maranhense Hugo dos Santos e o DJ/produtor Jean Richard, Tupi Machine traz ao mundo o clipe de “Coco Babaçu”.

Ao dialogar a tecnologia urbana com uma ancestralidade sonora, a canção é uma homenagem às quebradeiras de coco do nordeste brasileiro. E ao integrar esses elementos sonoros, o clipe, que foi filmado no parque Serra da Capivara e conta com direção do próprio Hugo e Alexandre Soares, costura os vestígios das primeiras civilizações americanas com as linguagens contemporâneas. O que seria basicamente a síntese do grupo em si.

Assista:

Haynna e os Verdes

Haynna e os Verdes
Foto: Thaís Mallon

A estreia da banda Haynna e os Verdes no mundo do audiovisual se dá com o clipe e duas músicas. O grupo escolheu as canções “Pão de Lú” e “Insônia”, que estão no primeiro e homônimo disco lançado em novembro do ano passado. As duas são uma composição do brasiliense Lucas Soledade que a banda conheceu no distrito de Olhos D’Água, que fica em Alexânia (GO), a 100 km de Brasília, justamente o local onde o novo clipe foi gravado.

Com direção da fotógrafa e videomaker Thaís Mallon, vídeo é protagonizado pelos membros da banda e a dançarina Tauanne Lyz. No clipe, ela passeia por Olhos D’Água com performance que explora a dança contemporânea, o jazz, a dança de rua e o hip-hop, tendo a bucólica cidade, com seus casarões coloridos, como cenário.

Assista ao resultado incrível:

Simön

Simon
Foto: Alcalina Records

Simön, projeto do brasileiro-uruguaio Diego Herrera, estreia na cena do país com o single “Todo Gotas de Mar”. 

Projeto solo que nasceu no Uruguai e se desenvolveu no Brasil, mistura duas culturas diferentes, de forma bastante complementar na canção, onde as similaridades entre a música brasileira e uruguaia se tornam visíveis. Com fortes influências da música erudita, do pop, e do rock, Simön se encontra na obra de Chico Buarque e na música folclórica uruguaia e brasileira, trazendo um ritmo dançante e incorpora na letra a vontade de ouvir, sentir e ser ouvido que pulsa em Simön.

A música faz parte do disco de estreia, En Un Punto, lançado originalmente em 2015, no Uruguai, e que agora é relançado no Brasil, pelo selo paulista Alcalina Records. Ouça:

Esdras Nogueira

Esdras Nogueira
Foto: Célio Maciel

Anunciando desde já o quarto disco do saxofonista Esdras Nogueira, Transe, o artista traz ao mundo o lyric video da releitura feita de “You Don’t Know Me”, a faixa de abertura do disco Transa, de Caetano Veloso.

Para Esdras, Transa é um disco arriscado e atemporal. “O Transa foi feito em 1972, mas poderia ter sido feito ontem, é ainda hoje atual e forte”, comenta. Hoje, Esdras mergulha naquele período histórico cuja força segue vigente nos dias atuais.

Acompanhando o sax barítono de Esdras Nogueira está a guitarra de Marcus Moraes, o baixo de Rodrigo Balduino e a bateria de Thiago Cunha. Eles tocam juntos há 5 anos e esbanjam tanto entrosamento quanto o amadurecimento da estrada. Os arranjos do disco, feitos em conjunto, remetem à mesma liberdade ensejada pelo disco original. Uma mistura de referências, ousadia e grooves contagiantes. Ouça:

Willian Mattos

Willian Matos
Foto: Divulgação
Ao estrear na cena com o grupo Kanis, o paranaense Willian Mattos alça voos maiores em carreira solo com o single “Sinal Vermelho”.
Com produção e gravação assinada pelo próprio músico, a canção é uma amostra do seu álbum de estreia, com previsão de lançamento para Junho. Em um lyric video, a canção retrata o sonho do cantor de ser o Neil Young tocando guitarra, com uma letra bastante profunda e empática, que também faz analogia a um acidente de carro e uma paixão intensa. Como o próprio Willian afirma: “Num acidente de trânsito todo mundo é humano, assim como quando a gente se apaixona”.
Sinal Vermelho também conta a com a participação de Thiago Guglielmi (Montanas Trio) no baixo e Hugo Ubaldo na bateria, com quem Willian já vinha trabalhando nos tempos de Kanis.
Ouça o ótimo single: