Julian Casablancas no Primavera Sound 2015
Foto de Julian Casablancas via Shutterstock
 

As plataformas de streaming ainda são — e continuarão sendo — um tópico polêmico e delicado na indústria da música. Alguns artistas se posicionam contra por conta do pagamento baixo, outros apenas preferem os meios tradicionais de compartilhamento. Mas Julian Casablancas tem mais a dizer.

Em um nova entrevista com a Billboard, onde comemora os 10 anos de seu disco solo Phrazes For The Young, o vocalista dos Strokes foi questionado sobre sua relação com a nova forma de descobrir música.

Talvez para a surpresa de muitos que sabem o quanto a internet impulsionou a carreira do cara, ele se mostrou totalmente contra o streaming. Ao ser questionado sobre os desafios que encontrou nessa “mudança” de ares para a música, Casablancas revelou:

Como artista, nada muda. Sem grandes mudanças, realmente. Em termos do que uma gravadora deve ser… ninguém sabe o que está acontecendo ou o que fazer. Até mesmo uma grande gravadora, eles têm seus relacionamentos, mas é tudo sobre o Spotify. Eu não uso o Spotify. Acho que todos esses serviços de streaming são… eu não gosto deles. Eles são a nova MTV, os novos gatekeepers, então os selos fazem acordos com eles basicamente… todos eles estão copiando todo mundo. Eu não sei. Não acho que as gravadoras tenham uma identidade clara no momento. Eu não estou lá na frente tentando descobrir como explorar e ganhar dinheiro. Estou mais interessado em fazer algo como o The Grateful Dead: ir de cidade em cidade, ser amigo de estações de rádio legais, tocar em lugares legais, fazer relacionamentos com promotores legais. Você pode ter sua existência online, mas tentar mamar nas tetas do Spotify é apenas uma perda de tempo para mim.

Julian ainda continuou dizendo que prefere o YouTube e o rádio para descobrir músicas novas.

Eu ouço rádio e geralmente fico abaixo de 92. Esse é o melhor lugar para ouvir música. Ainda há DJs tocando coisas legais. Todos que eu conheço que estão ouvindo o Spotify ou o Apple Music não descobrem nada de interessante. Quando eu peço para eles tocarem uma música legal, eles nem têm uma. Se você tiver que escolher um serviço de streaming, eu diria que o YouTube é o único, mesmo que não seja bem isso. Bem, você pode encontrar qualquer coisa. A maioria desses serviços de streaming você não pode realmente… Quer dizer, eu entendo. Se você quer ouvir música de uma maneira simples, são U$10 por mês, eu entendo. Você não vai comprar músicas no iTunes, eu entendo isso, mas… Sim, eu basicamente baixo as coisas e as coloco em um dispositivo que não é da Apple, porque não deixam mais você ter MP3s, é tão estúpido. Voltamos tanto para trás. Todo o processo da música é tão estupidamente complicado agora, de toda a tecnologia.

Vale lembrar que o Strokes está prometendo um retorno grandioso para este ano, de onde pode sair um disco novo. Será que o trabalho estará nas plataformas?