Keane
Foto: divulgação
 
Ouça o novo single da Majur!

Quem acompanha de perto as redes sociais da banda inglesa Keane já está sabendo da série de shows que os caras farão em festivais durante o verão europeu. Mas a novidade mesmo é que, depois de Strangeland, de 2012, o quarteto finalmente está trabalhando em um novo álbum.

Conforme nota divulgada tanto no site oficial da banda como no Twitter dos caras, o lançamento deve acontecer na segunda metade desse ano:

Tem muita gente perguntando o que estamos fazendo nos últimos meses… bom, nós estávamos desesperados para contar pra vocês que estamos trabalhando em outro álbum, que vai ser lançado mais tarde, ainda esse ano. não está nem perto do final, não temos todos os detalhes para compartilhar ainda, mas prometemos manter vocês informados!

Obrigado por todas as mensagens, amor e apoio. A gente mal pode esperar até vocês ouvirem no que estamos trabalhando e para ver vocês na estrada nesse verão e mais pra frente.

Tim, Tom, Richard e Jesse

Keane

Vale lembrar que de 2012 para cá muita coisa aconteceu na vida do Keane e de seus integrantes, principalmente de Tom Chaplin. O frontman embarcou em carreira solo depois do anúncio do hiato do quarteto em 2013. Na época, ele deu entrevista para a gente, falando inclusive do frio na barriga com o lançamento, mesmo com tanta história vivida na banda, e marcou presença em grandes momentos como quando celebrou o casamento gay nos Estados Unidos lançando música ou quando participou do tributo em homenagem aos 70 anos do sagrado David Bowie.

Um verão em atividade

Um pouco antes de anunciar o novo álbum, o Keane já vinha espalhando fotos em estúdio e datas de shows. A banda estará muito ocupada entre os meses de Junho e Julho, quando passará pela Dinamarca, Holanda, Inglaterra, Portugal e Espanha em turnê. Até agora, nenhuma notícia de Américas, mas a esperança é a última que morre, não é mesmo? Vale lembrar que a última passagem do Keane pelo Brasil aconteceu em 2013, um pouco antes do hiato, para divulgação do último disco. Já podemos ter esperanças?

 

   
 
Compartilhar