Robert Smith, do The Cure, em 2012
Foto de Robert Smith via Shutterstock
 

2019 já está sendo um ano de novidades para o The Cure, e muito se deve à promessa da banda de lançar um novo disco.

No mesmo dia em que o grupo foi induzido ao Hall da Fama do Rock and Roll, o vocalista Robert Smith, em entrevista, revelou mais alguns detalhes sobre o novo álbum. O cara contou que a sonoridade deve seguir uma linha mais sombria, assim como o visual dos membros.

Na conversa, ele ainda falou sobre a turnê que pretende fazer para comemorar os 30 anos de Disintegration, disco de 1989.

Por ser o aniversário do Disintegration, eu estava pensando sobre como nós fizemos ele, e como o transformamos em algo, e qual era a minha mentalidade. Uma parte fundamental era que todos estivessem longe de casa, longe de tudo que amavam e estando em um só lugar ao mesmo tempo. Então, pela primeira vez em 20 anos, nós entramos em um estúdio — na verdade nós entramos no estúdio onde [Queen] fez o Bohemian Rhapsody, curiosamente. É um ótimo estúdio no meio do nada. Nós apenas tocamos música por três semanas. E isso é ótimo. Eu sei que todo mundo diz isso. Mas é realmente ótimo.

Ao falar sobre a espera pelo disco, Smith ainda disse: “Eu esperei 10 anos para fazer algo que signifique alguma coisa,” chamando as novas faixas de “sombrias e incrivelmente intensas.”

Sobre o lançamento, o vocalista se mostrou empolgado com o Halloween, o que quer dizer que o disco deve chegar por volta de Outubro.

Ansiosos?

     
 
Compartilhar