335 explora rock alternativo e psicodelia brasileira em EP de estreia
Foto: Rodrigo de Freitas / Divulgação
 

A psicodelia brasileira contemporânea e setententista se une aos mais diversos elementos do rock alternativo em O Meu Sonho Eu Não Controlo, EP de estreia dos niteroienses da 335.

A banda explica que o trabalho traz novas sonoridades e texturas que adicionam elementos ao som que costumavam fazer.

Suas inspirações passeiam desde Boogarins aos álbuns setentistas de Zé Ramalho, Tom Zé e em especial Jorge Ben Jor. “O projeto ganhou novas referências, como por exemplo Jorge Ben Jor, que terá uma música autoral em sua homenagem de tão forte que foi a sua influência”, conta o guitarrista Lucas Vale.

O nome 335 vem do número da casa dos irmãos Lucas, Daniel e Davi Vale, que compõem a banda ao lado do amigo de infância Lucas Rangel. A ideia de iniciar uma banda surgiu da vontade de participar de um festival na escola onde estudavam. Com o amadurecimento e a experiência adquirida ao vivo, eles começaram a criar suas faixas autorais, culminando com a composição do EP.

O trabalho foi gravado no próprio estúdio da banda e com a participação especial de Carol Dytz. A masterização foi feita por Toney Fontes.