Jake Phelps
Foto: Reprodução/Instagram
 

Jake Phelps, skatista e editor-chefe da icônica revista Thrasher pelos últimos 26 anos, acaba de falecer aos 56 anos de idade. A causa da morte ainda não foi revelada.

A triste notícia foi confirmada por Tony Vitell, filho do fundador da revista, Fausto Vitello. Em seu Instagram, Tony escreveu:

Jake Phelps era 100% skatista, mas essa descrição não faz jus ao seu nome, porque além de sua enorme influência no nosso mundo, ele realmente era um indivíduo além deste mundo. Quando pessoas que amamos morrem, nós frequentemente criamos lendas sobre suas vidas cheias de amizades e experiências. Às vezes, nós precisamos nos convencer a acreditar nisso. Isso nos faz nos sentirmos melhor, e nos ajuda a lidar com a perda. Bom, no caso do Jake, a tarefa é tentar entender quantas vidas uma pessoa pode possivelmente viver. Ele realmente viu de tudo, fez de tudo, e aquele cérebro incrível dele saboreou cada mínimo detalhe.

Mas a maioria de vocês que está lendo isso agora identificava ele como Jake Phelps, o skatista e editor da nossa revista, então eu vou deixá-los com essa verdade — eu nunca conheci ninguém que ame algo mais do que o Jake amava o skate. Assim como nós precisamos de comida e água para sobreviver, Jake precisava do skate para que seu sangue continuasse pulsando nas veias. Era mais do que um hobby ou uma forma de transporte ou um estilo de vida – era o oxigênio dele. Outra coisa: o Jake nunca desistiu. Ele sempre foi com tudo. Existe uma grande diferença. Ele só sabia ser comprometido. Ele fazia as coisas sem hesitar, e só existiam dois possíveis resultados. Ou você veria o seu punho triunfante balançando no ar ou uma colisão com o concreto de tremer o chão. Eu me lembro dele ter me dito uma vez que ele nunca caiu para trás, apenas para frente. Cair para trás significaria que houve uma hesitação, e Jake sempre foi com tudo. Não existia mito. O homem era o mito. Te amamos, Jake.

Criada em 1981 na Califórnia, a Thrasher é uma referência mundial no mundo do skate, unindo artigos sobre o esporte, música e cultura.

Descanse em paz, mestre!

View this post on Instagram

Jake Phelps was 100% skateboarder, but that label sells him way too short, because beyond his enormous influence in our world, he was truly an individual beyond this world. When loved ones pass we sometimes mythologize about their full lives rich in friendships and experiences. Sometimes we need to talk ourselves into believing it all. It makes us feel better, and helps us cope with the loss. Well, in the case of Jake, the task becomes wrapping your head around just how many lives one person could possibly live. He really did see it all, do it all, and that incredible brain of his could relish every last detail. But most of you reading this now identified primarily with Jake Phelps the skateboarder, and editor of our magazine, so I will leave you with this truth – I never met anybody who loves anything more than Jake worshipped skateboarding. Just as we need food and water to survive, Jake needed skateboarding to keep his blood pumping. It was more than a hobby or form of transportation or way of life – it was his oxygen. Here’s another thing. Jake never bailed. Jake fucking slammed. And there is a big difference. He only knew commitment. He was going to go for it without hesitation, and there were only two outcomes. Either you’d see his triumphant fist pumping in the air or it’d be an earth-shaking collision with the concrete. I remember him telling me once that he never fell backwards, he always fell forward. Leaning back meant there was hesitation, and Jake was all the way IN. There was no myth. The man was the myth. We love you, Jake. -Tony Vitello

A post shared by THRASHER MAGAZINE (@thrashermag) on

       
 
Compartilhar