Chino Moreno (Deftones) levantando voo
Foto: Wikimedia Commons
 

Em 2016 a influente banda de rock Deftones lançou o seu mais recente disco de estúdio, Gore.

De lá pra cá, o vocalista Chino Moreno e sua trupe fizeram shows ao redor do mundo e agora estão se reunindo em estúdio para trabalhar naquele que será seu nono álbum.

Entre fotos e vídeos publicados como teasers, o grupo californiano nunca deu muitos detalhes do que vem por aí mas agora o músico fez declarações pra lá de interessantes a respeito do trabalho quando conversou com a revista Kerrang!

O site The PRP transcreveu alguns trechos da entrevista, principalmente em relação a qual momento do passado representava melhor o momento em que eles se encontram hoje musicalmente:

Essa é uma boa pergunta, eu não sei e é difícil dizer. No estágio em que estamos com o nosso processo de composição no momento, é realmente difícil para mim isso de colocar uma perspectiva simples no que estamos fazendo. Tudo muda todo dia em que nos juntamos e compomos.

Nós definitivamente estamos entrando em modos experimentais, o que representa a fase mais divertida do processo. Um dos maiores discos de nossa carreira é obviamente o White Pony, e é o nosso disco com maior sucesso comercial também, mas ele também representa um dos nossos lançamentos mais experimentais, especialmente para o período em que ele foi lançado. Esse disco, fazê-lo foi… qual é uma boa palavra para descrevê-lo? Nos sentimos livres.

Nós basicamente fizemos o que gostávamos, aquilo que estava acontecendo com a gente no momento. Não tinha muito a ver com o que estava acontecendo na época, pelo menos em relação ao que os nossos contemporâneos estavam gravando e os estados em que outros tipos de música estavam.

Nu Metal

Questionado se White Pony, quarto disco do Deftones, foi uma resposta ao chamado nu metal, Moreno respondeu:

À época, sinceramente, com bandas como Limp Bizkit, Papa Roach e o que foi classificado como nu-metal ou seja lá o que for, o gênero estava no seu ponto mais alto. E nós provavelmente fizemos o nosso disco mais não-nu-metal. Eu não sei por que o fizemos. Como eu disse, estávamos mais experimentando do que tentando fazer algo que sentimos que já havíamos feito.

Ao voltar a falar a respeito das músicas atuais, Chino concluiu:

Por isso é difícil responder a pergunta sobre o futuro e o que vem por aí. Mas se fosse para dizer algo eu realmente diria que eu me lembro do White Pony, e esse disco em geral, ao gravar as novas músicas, porque ele representa o Deftones em seu momento mais experimental.

 
 
FonteCoS
Compartilhar