The Umbrella Academy
Foto: Divulgação/Netflix
 

Todos estávamos ansiosos por uma série inspirada em heróis que não fossem da Marvel ou da DC. E The Umbrella Academy chegou para realizar esse desejo, tornando-se um sucesso imediato entre os assinantes da Netflix. Mas alguns espectadores ainda não estão familiarizados ainda com a origem desse universo. Afinal, de onde veio a família Hargreeves? Qual a relação deles com o Brasil? O que eles têm a ver com o My Chemical Romance?

As HQs

O começo de tudo foi o lançamento dos quadrinhos The Umbrella Academy, em 2007. Escrita por Gerard Way e ilustrada pelo brasileiro Gabriel Bá, a HQ ganhou o Prêmio Eisner de Melhor Minissérie, em 2008.

A história foi lançada em dois volumes: Suíte do Apocalipse (2007-2008) e Dallas (2008-2009). Também existem histórias curtas com aventuras dos personagens fora da trama principal. Originalmente, The Umbrella Academy saiu pela editora Dark Horse e, no Brasil, chegou pela Devir.

Gerard Way foi vocalista do My Chemical Romance até 2013, quando o grupo encerrou as atividades, mas já flertava com os quadrinhos desde os 16 anos de idade. Ele estourou com The Umbrella Academy, mas também já assinou The true lives of the Fabulous Killjoys (2013), Cave Carson Has a Cybernetic Eye (2016-2018) e Patrulha do Destino – a mesma equipe que aparece na série Titãs, também da Netflix – (2016-2018).

Já Gabriel Bá é um dos maiores quadrinistas brasileiros. Ele e seu irmão gêmeo, Fábio Moon, foram os primeiros brasileiros a ganharem um Prêmio Eisner, o Oscar dos quadrinhos – em 2008, Melhor Antologia (com a obra 5) e Melhor Quadrinho Digital (com Sugarshock). A dupla conta ainda com uma vasta galeria de premiações, incluindo Scream Awards, Harvey Awards e Jabuti, entre outros.

Foto: Divulgação

Gerard e Gabriel estiveram no Brasil com parte do elenco da série em 2018, na CCXP. Na ocasião, Gerard comentou sobre a influência das adaptações na criação de novas HQs. A perspectiva de o quadrinho virar série já muda o processo criativo, mas ele diz ainda preferir “quadrinhos que parecem quadrinhos”.

A história

Em um belo dia no ano de 1989, 43 crianças nascem de forma misteriosa em diferentes países. O milionário Sir Reginald Hargreeves adota sete dessas crianças com o propósito de proteger o planeta Terra – mas ninguém sabe exatamente de quem ou do quê.

Nas HQs, cada personagem tem um codinome, diferente da série.

Sir Reginald Hargreeves (Monóculo)

Sir Reginald Hargreeves é um alienígena disfarçado que se tornou uma lenda. Milionário, ele é medalhista olímpico e um cientista brilhante. Por meio de uma técnica de aperfeiçoamento cerebral de chimpanzés, ele recebeu até um Prêmio Nobel. O faz-tudo adotou as sete crianças com habilidades especiais e acabou virando um pai, mentor e carrasco, pois implementava um regime muito severo aos jovens.

Sir Reginald Hargreeves, o Monóculo
Sir Reginald Hargreeves, o Monóculo (Foto: Divulgação)

Número 1, Luther (Spaceboy)

Considerado o líder do time, ele tem superforça e sempre foi grande admirador do pai. Porém, após um acidente, ele teve o corpo destruído e acabou fundido a um corpo de gorila para ser salvo. Depois que seus irmãos abandonaram a equipe, ele foi enviado à Lua para evitar uma eventual ameaça alienígena.

Número 2, Diego (Kraken)

Talentosíssimo com armas brancas, Diego acabou virando uma espécie de vigilante depois que fugiu de casa. Ele é o mais rebelde e provocador, especialmente quando está com o Spaceboy. No fim das contas, porém, ele acaba fazendo as coisas certas, mas por meios questionáveis.

Número 3, Allison (Rumor)

Allison tem a capacidade de alterar o livre arbítrio das pessoas apenas ao fazer sugestões a elas. Ela foi a primeira a abandonar a casa dos Hargreeves e construiu sua própria família. No entanto, após se divorciar, ela não conseguiu a guarda da filha.

Número 4, Klaus (Séance)

Klaus consegue conversar com os mortos e tem poderes telecinéticos. Por causa do contato com os mortos e pela aparente “incapacidade de morrer”, ele é um pouco instável mentalmente e acaba abusando do uso de drogas.

Número 5

Provavelmente o mais forte dos irmãos adotivos, o Número 5 tem a capacidade de viajar no espaço e no tempo. Apesar das orientações de Hargreeves de não viajar muito longe no futuro, ele desobedeceu e acabou não conseguindo voltar. O garoto acabou em uma realidade pós-apocalíptica e só descobre como retornar 20 anos depois, com o objetivo de impedir o fim do mundo.

Número 6, Ben (Horror)

O jovem Ben já havia morrido quando os acontecimentos de Umbrella Academy começam a ser contados. Ele tinha monstros de outra dimensão abrigados em seu próprio corpo, mas acabou morrendo brutalmente em uma missão. Há uma estátua na mansão dos Hargreeves em sua homenagem.

Número 7, Vanya

A única dos sete adotados que não possui qualquer habilidade especial, Vanya passa a vida sendo deixada de lado, humilhada pelo pai e esquecida pelos irmãos. Enquanto os outros treinam e saem em missões, ela assiste de longe e pratica suas habilidades com o violino. Vanya é odiada pelos irmãos por ter escrito um livro sobre a vida dentro da Umbrella Academy, expondo o lado negativo de ser um super-herói e expondo a família aos holofotes.

Da esq. para a dir.: Números 7, 5, 4, 3, 2 e 1 (Foto: Divulgação)

Pogo

Este é um dos chimpanzés alterados geneticamente por Hargreeves. Pogo virou parte da família e esteve presente em todos os momentos da criação dos irmãos, sempre servindo como ajudante do Monóculo.

Diálogo entre o Número 5 e Pogo (Foto: Divulgação)

Hazel e Cha-Cha

Os dois são assassinos temporais que trabalham para a Temps Aeternalis, agência responsável por manter a cronologia do espaço-tempo. Quando há chance de alguma anomalia temporal acontecer, eles são enviados para matar as pessoas responsáveis, onde quer que elas estejam.

Hazel e Cha Cha em ação (Foto: Divulgação)

Assista ao trailer da série e divirta-se!

E aproveite para matar a saudade do Gerard Way na época do My Chemical Romance: