Spike Lee no Oscar
Foto: Reprodução/YouTube
 

Nem tudo foi motivo de comemoração para Spike Lee no Oscar deste ano, que aconteceu no último domingo (24).

O diretor, que foi premiado pela primeira vez nesta edição, não gostou nada de ver Green Book: o Guia levando o prêmio de Melhor Filme. Lee também concorria com Infiltrado na Klan, com o qual levou a estatueta de Melhor Roteiro Adaptado.

Assim que o vencedor da categoria foi anunciado, Spike Lee foi visto tentando deixar a cerimônia, visivelmente irritado.

Ao explicar seus motivos em uma coletiva de imprensa após o evento, o diretor comparou o longa a Conduzindo Miss Daisy, de 1989. No Oscar de 1990, o filme derrotou Faça a Coisa Certa, com o qual Lee concorria.

Eu sou azarado. Quero dizer, toda vez que alguém está dirigindo para alguém, eu perco. Mas eles mudaram a disposição dos lugares! […] Quero dizer, é bem similar a ‘Conduzindo Miss Daisy’. Eles apenas trocaram a posição dos assentos.

Na entrevista, Spike Lee ainda brincou e comparou a decisão da Academia à decisão equivocada de um juiz de basquete, dizendo que eles pisaram na bola. Tenso!

Racismo

Ao receber seu Oscar este ano, Spike Lee fez um discurso bastante politizado e se referiu às próximas eleições nos Estados Unidos.

Quem não gostou nada disso foi o presidente americano Donald Trump, que foi ao Twitter chamar o diretor de “racista”. Saiba mais clicando aqui.